Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Portugal vs República Checa (em termos económicos e sociais)

por Rogério Costa Pereira, em 21.06.12

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:41


As grandes sociedades de advogados

por Luis Moreira, em 25.01.12

As grandes sociedades de advogados adquiriram uma dimensão e um poder tal que se transformaram em autênticos ministérios-sombra.
É dos seus escritórios que saem os políticos mais influentes e é no seu seio que se produz a legislação mais importante e de maior relevância económica.
Estas sociedades têm estado sobre-representadas em todos os governos e parlamentos.
São seus símbolos o ex-ministro barrosista Nuno Morais Sarmento, do PSD, sócio do mega escritório de José Miguel Júdice, ou a centrista e actual super-ministra Assunção Cristas, da sociedade Morais Leitão e Galvão Teles.
Aos quais se poderiam juntar ministros de governos socialistas como Vera Jardim ou Rui Pena.
Alguns adversários políticos aparentes são até sócios do mesmo escritório. Quando António Vitorino do PS e Paulo Rangel do PSD se confrontam num debate, fazem-no talvez depois de se terem reunido a tratar de negócios no escritório a que ambos pertencem.
Algumas destas poderosas firmas de advogados têm a incumbência de produzir a mais importante legislação nacional. São contratadas pelos diversos governos a troco de honorários milionários. Produzem diplomas que por norma padecem de três defeitos.
São imensas as regras, para que ninguém as perceba, são muitas as excepções para beneficiar amigos; e, finalmente, a legislação confere um ilimitado poder discricionário a quem a aplica, o que constitui fonte de toda a corrupção.
Como as leis são imperceptíveis, as sociedades de jurisconsultos que as produzem obtêm aqui também um filão interminável de rendimento.
Emitem pareceres para as mais diversas entidades a explicar os erros que eles próprios introduziram nas leis. E voltam a ganhar milhões. E, finalmente, conhecedoras de todo o processo, ainda podem ir aos grupos privados mais poderosos vender os métodos de ultrapassar a Lei, através dos alçapões que elas próprias introduziram na legislação.
As maiores sociedades de advogados do país, verdadeiras irmandades, constituem hoje o símbolo maior da mega central de negócios em que se transformou a política nacional.

 

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/opiniao/poder--associados (http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/opiniao/poder--associados)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:00


BOA PROPOSTA

por Luis Moreira, em 10.01.12

Está reclamando do Sócrates? do Victor Constâncio, do Passos Coelho? do António José Seguro, do Cavaco Silva? do Mário Soares, do Dias Loureiro? do Armando Vara? do Paulo Portas? do Isaltino Morais? do Duarte Lima, do Jorge Coelho, do João Jardim? do Joe Berardo, do Ministério Publico? da Ministra da Justiça? dos Tribunais ? do Procurador Geral da República, dos Autarcas do País? do Teixeira dos Santos, do Vítor Gaspar? da CGTP, da UGT? da Maioria dos deputados no Parlamento? da Comissão de Arbitragem, do Pinto da Costa, do Valentim Loureiro, ou de outro canalha qualquer?


O Português reclama de quê
?

O Português é assim:

A- Coloca nome em trabalho/licenciatura que não fez.

B- Coloca nome de colega que faltou em lista de presença.

C- Paga para alguém fazer seus trabalhos
.

1. - Saqueia cargas de veículos acidentados nas estradas.

2. - Estaciona nas calçadas, muitas vezes debaixo de placas proibitivas.

3. - Suborna ou tenta subornar quando é apanhado cometendo uma infração.

4. - Troca voto por qualquer coisa: areia, cimento, tijolo, peixe, camisolas e até placas dentárias.

5. - Fala no telemóvel enquanto conduz.

6. - Usa o telefone da empresa onde trabalha para ligar para o telemóvel dos amigos (me dá um toque que eu retorno...) - assim o amigo não gasta nada.

7. - Conduz pela direita e pelos passeios nos engarrafamentos.

8. - Para em filas duplas e triplas, em frente às escolas.

9. - Viola a lei do silêncio.

10. - Conduz bêbado.

11. - Fura filas nos bancos, nas repartições públicas, etc. etc. utilizando-se das mais esfarrapadas desculpas.

12. - Deita  lixo nas ruas, nas calçadas, nos jardins.

13. - Usa atestado médico sem estar doente, só para faltar ao trabalho.

14. - Usurpa  luz, água e tv por cabo.

15. - Regista imóveis no cartório num valor abaixo do comprado, muitas vezes irrisórios, só para pagar menos impostos.

16. - Compra recibos para abater na declaração das finanças para pagar menos imposto.

17. - Quando viaja em serviço pela empresa, se o almoço custou 10¤, pede factura de 20¤.

18. - Comercializa objectos doados em campanhas de catástrofes, ou para ajuda a mais necessitados.

19. - Estaciona em espaços exclusivos para deficientes.

20.. - Adultera o velocímetro do carro para vendê-lo como se fosse pouco rodado.

21. - Compra produtos piratas com a plena consciência de que são piratas.

22. - Substitui o catalisador do carro por um, que só tem a casca.

23. - Diminui a idade do filho para que este passe por baixo da roleta do metro, sem pagar passagem.

24. - Leva das empresas onde trabalha, pequenos objetos, como clipes, envelopes, canetas, lápis... etc. etc. como se isso não fosse roubo.

25. - Falsifica tudo, tudo mesmo... só não falsifica aquilo que ainda não foi inventado.

26. - Quando volta do estrangeiro, nunca diz a verdade quando o fiscal aduaneiro pergunta ou perguntava o que traz na bagagem.

27. - Quando encontra algum objeto perdido, na maioria das vezes não devolve.

E quer que os políticos sejam honestos....


Escandaliza-se com a corrupção dos políticos, o dinheiro das  cartões de credito, das despesas nas passagens aéreas e da estadia no estrangeiro...


Esses políticos que aí estão saíram do meio desse mesmo povo, ou não?


O Português reclama de quê, afinal?


E é a mais pura verdade, isso que é o pior! Então sugiro adotarmos uma mudança de comportamento, começando por nós mesmos, onde for necessário!


Vamos dar o bom exemplo!


Espalhe essa idéia!


"Fala-se tanto da necessidade deixar um planeta melhor para os nossos filhos e esquece-se da urgência de deixarmos filhos melhores (educados, honestos, dignos, éticos, responsáveis) para o nosso planeta, através dos nossos
exemplos...."

Colhemos o que plantamos, a vida nasce dentro de nós e se todos formos melhores a sociedade também será melhore!

PS: de autor desconhecido!





Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:00

Há cerca de 3 ou 4 meses começaram a dar-se alterações profundas, e de nível global, em 10 dos principais factores que sustentam a sociedade actual. Num processo rápido e radical, que resultará em algo novo, diferente e porventura traumático, com resultados visíveis dentro de 6 a 12 meses... E que irá mudar as nossas sociedades e a nossa forma de vida nos próximos 15 ou 25 anos!
Tal como ocorreu noutros períodos da história recente, no status político-industrial saído da Europa do pós-guerra, nas alterações induzidas pelo Vietname/ Woodstock/ Maio de 68 (além e aquém Atlântico), ou na crise do petróleo de 73.
Façamos um rápido balanço da mudança, e do que está a acontecer aos "10 factores":
1º- A Crise Financeira Mundial : desde há 8 meses que o Sistema Financeiro Mundial está à beira do colapso (leia-se "bancarrota") e só se tem aguentado porque os 4 grandes Bancos Centrais mundiais - a FED, o BCE, o Banco do Japão e o Tesouro Britânico - têm injectado (eufemismo que quer dizer: "emprestado virtualmente à taxa zero") montantes astronómicos e inimagináveis no Sistema Bancário Mundial, sem o qual este já teria ruído como um castelo de cartas. Ainda ninguém sabe o que virá, ou como irá acabar esta história !...
2º- A Crise do Petróleo : Há 6 meses que o petróleo entrou na espiral de preços. Não há a mínima ideia/teoria de como irá terminar. Duas coisas são porém claras: primeiro, o petróleo jamais voltará aos níveis de 2007 (ou seja, a alta de preço é adquirida e definitiva, devido à visão estratégica da China e da Índia que o compram e amealham!) e começarão rapidamente a fazer sentir-se os efeitos dos custos de energia, de transportes, de serviços. Por exemplo, quem utiliza frequentemente o avião, assistiu há semanas, a uma subida no preço dos bilhetes de... 50% (leu bem: cinquenta por cento). É escusado referir as enormes implicações sociais deste factor: basta lembrar que por exemplo toda a indústria de férias e turismo de massas para as classes médias (que, por exemplo, em Portugal ou Espanha representa 15% do PIB) irá virtualmente desaparecer em 12 meses! Acabaram as viagens de avião baratas (...e as férias massivas!), a inflação controlada, etc...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:00

A grande diferença é o objectivo da sociedade. Se for para juntar accionistas com dinheiro para apoiar projectos para ganhar dinheiro pode ser anónima mas não pode ser secreta. Pelo contrário, tem que ser conhecida o mais possível nem que seja pelos seus produtos e serviços prestados. É anónima porque as acções podem mudar de mão de um dia para o outro e não há como saber quem as tem, embora haja um núcleo duro que, normalmente, controla a maioria.

E as sociedades secretas? Qual é o seu objectivo? Começaram por ser um grupo de "homens bons" que discutia os grandes problemas das sociedades, políticos, sociais, económicos... Eram o prolongamento dos grupos em que os chamados "pedreiros livres" iniciaram a participação dos homens comuns na gestão do Estado. Ainda hoje a baixa de Lisboa está cheia de exemplos das primeiras associações de "homens bons" - rua dos Caldeireiros, dos Ourives...

Mas a Maçonaria que já na primeira República, teve um papel activo nas revoltas e nos assassinatos de governantes, contribuindo de forma muito contundente para o surgimento entre os populares, da ideia de que só um "pulso forte"  seria capaz de estabilizar o país - primeiro Sidónio, depois Salazar - converteu-se num trampolim para o assalto ao poder  e aos lugares milionários nas empresas públicas.

Claro que há gente muito boa e eu conheço alguns maçons que nunca, mas nunca, tiraram partido da "irmandade instalada."

Agora temos - cúmulo dos cúmulos - as "secretas" infiltradas por "irmãos" que ocupam lugares chave no aparelho do estado e que usam o que deveria ser "secreto" para influenciar a comunicação social e as decisões ao mais alto nível político!

E , agora, temos empresas anónimas ( na forma jurídica) que deixaram de ser anónimas, envoltas em suspeitas, sobre assuntos que deveriam ser ...secretos!

Confuso? Tal como eu!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:31


Combater os fortes interesses instalados

por Luis Moreira, em 13.12.11

Bruxelas aconselha. O que se fez até agora é muito pouco, foram mais truques contabilísticos que outra coisa, é mesmo preciso realizar reformas. Mas para realizar reformas é preciso enfrentar as corporações que vivem à conta do estado, que têm emprego para toda a vida, progressões automáticas e que chegam todos ao topo da carreira.

E, há gente desta em todo o lado, na Educação, Saúde, Justiça, Administração, Assembleia da República, empresas públicas...

Aliás, se estiverem com alguma atenção, verificam que a palavra "não" é a primeira que sai da boca dos conservadores que insistem em viver num cemitério . De esquerda e de direita, gente que diz "não" a tudo o que mexe, mesmo que o que defendem nos tenha levado aonde estamos. Na falência ou perto disso.

Ainda não perceberam que, por exemplo, no sistema anglo-saxónico, o "estado-social" funciona para quem precisa, para os pobres, para quem não pode pagar.

Aqui, coitados de nós, "o estado social é universal e tendencialmente gratuito"! E, é para ficar assim, dizem os "pasmados" com tanta lucidez e generosidade( embora contestem, sem compreenderem, as pensões milionárias).Todos os que tiverem preocupação com os dois milhões de pobres que nunca saíram da pobreza porque isto "é universal e tendencialmente gratuito" ( nunca chega , nem nunca chegará a quem não tem voz) levam uma corrida "em osso" de perigoso direitista, senão mesmo reaccionário.

Tenho que me ater ao Professor Agostinho da Silva: "os de esquerda chamam-me de direita; os de direita chamam-me de esquerda; os do centro não me reconhecem; devo estar certo".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:40

Foi a necessidade que criou o estado social quando as famílias tinham muitos filhos e além de sobreviver começaram a exigir melhores condições de vida. É outra vez a necessidade que porá fim ao estado social que toma conta de nós. A concorrência com origem em países longínquos está a obrigar-nos a mudar.

A vida segura e de confiança está a acabar.

O conceito de emprego para sempre já não será para os nossos filhos.O ensino pago e gratuito para todos não vai mais ser possível. A história vai passar a ser escrita por sociedades como a China e a Índia. Vamos (estamos) a mudar para podermos responder à concorrência. Mudamos por necessidade de sobrevivência.

Mas se o estado não pode continuar a fazê-lo, têm que ser as pessoas a tomarem o seu lugar. Os governos têm que começar a trabalhar mais de perto com as organizações de solidariedade, religiosas e laicas, alargando o seu campo de acção. Para que grupos de professores e pais criem mais escolas e que um espírito de pertença substitua o do colectivo.

Menos estado não é o fim do mundo! Estamos a assistir ao fim de um mundo mas, ao mesmo tempo, a assistir ao nascimento de outro!

Será assim? Eu acho que a sociedade civil vai ter um papel muito mais relevante que actualmente. As sociedades anti-liberais, anti-individuais, burocráticas e totalitárias já tiveram os seus dias. Cabe-nos a nós cidadãos fazer que tudo desague em sociedades mais justas e mais livres.

Será assim? Uma coisa é certa , os estados são hoje cúmplices dos poderes não eleitos nem escrutinados que mandam no mundo!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:15


O grande desafio

por Luis Moreira, em 27.11.11

Manter um sistema político que assegure a prosperidade e a justiça , nos aspectos económico, político e social, tudo em sociedades abertas de economia de mercado e da livre iniciativa individual. Estes aspectos foram o enorme contributo da social democracia europeia que está agora a ser atacada. As liberdades são postas em causa, a riqueza e o crescimento económico anémicos não são suficientes para manter o bem estar e a coesão social que estão a ser seriamente afectadas pela pobreza e injustiças sociais.

Nestes aspectos essenciais ao bem estar das sociedades a esquerda democrática com a sua ânsia de atacar o capitalismo erra os objectivos e o adversário e resvala para um discurso antiliberal.

A continuada e prolongada recessão economica coloca uma pressão desgastante nos principios da liberdade que são elementos estruturantes das sociedades liberais. Foi a austeridade radical que levou Hitler ao poder! Este é o húmus de todas as tormentas que não podemos ignorar. É preciso que à perda de influência da social democracia a esquerda oponha, à tentação neoliberal e conservadora, um modelo que seja realista e não utópico e inviável. Nunca como hoje precisamos tanto de uma esquerda forte e realista que se reveja na social democracia europeia, o sistema que só por si assegurou por mais tempo a paz, o bem estar e a justiça social de milhões de pessoas como nenhum outro .

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:16


As sociedades desiguaís são piores em tudo

por Luis Moreira, em 18.11.11
Neste vídeo, Richard Wilkinson, mostra como a desigualdade profunda entre cidadãos, numa mesma sociedade, afecta negativamente todas as facetas da vida em comum. Claro, que Portugal é apontado como uma das sociedades mais desiguais juntamente com os Estados Unidos e outros que tais...
Está demonstrado  estatisticamente, que uma sociedade desigual potencia os problemas sociais e não é só a violência, é também a "esperança de vida" ao nascer ( mesmo para os ricos), são certo tipo de doenças sociais( depressões, divórcios, crianças pouco equilibradas emocionalmente...) que constituem um elevado encargo financeiro para a sociedade.
A partir de um certo patamar ter mais dinheiro não equivale a um melhor nível de vida,pelo contrário,  influencia o rancor individual e a violência, que empurram os cidadãos para sociedades cada vez mais securitárias e, mesmo, para a supressão de direitos que deixam de ter condições de serem exercidos.
Não estamos a falar de igualitarismo ( em que as pessoas são todas iguais) porque não são, são diferentes e, como tal, haverá sempre diferenças, mas diferenças que não ofendam a dignidade.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:30

Este senhor da imagem chama-se Ilídio Vale e acabou de colocar Portugal na final do Mundial de Sub 20, em futebol. Dele, e da rapaziada que conduz, pouco temos ouvido falar. Como é consabido, esta é uma selecção mal-amada, desprezada, praticamente marginalizada pela imprensa (amanhã, talvez já sejam os melhores do mundo nas edições dos desportivos e mereçam uma chamada de primeira página nos jornais ditos de referência). Dizem que praticam um mau futebol, "apesar de terem eliminado a Argentina e a França".

Este post complementa o anterior. Em 1989 e 1991, o país parou para ver os jogos dos figos e pintos desse tempo; em 2010, o país vê, na Sport TV, o Barça papar o Real pela enésima vez, ignorando o jogo que passava em sinal aberto. Ignorando o Portugal que nos alberga, envergonhados dele, publicamente inscientes de que é a nossa imagem cuspida e escarrada. É destas pequenas coisas que se vai fazendo Portugal; este Portugal que insiste em não limpar o cotão que tem no umbigo (a troika diz não ser esse o caminho). Este é e não é o meu Portugal. É um Portugal que me dói e que me cura, quando dele me ausento. Um Portugal a quem resisto porque é meu filho e meu pai. Em 89 e 91, comprávamos tractores em forma de jipes e casas de férias, em 2011, com ar de "a próxima rodada é por minha conta", pagamos descadadores de bananas em 50 prestações com juros a rondar o insulto. Talvez por aí resida a diferença, de país de revigorados novos-ricos passámos a terra de pobres-ricos-novos, cansados e envergonhados da imagem que o espelho nos devolve. E sempre com o dinheiro dos outros. Apesar de em 1989 e agora nos andarmos a enganar a nós próprios, aqui há vinte e tal anos julgávamos que era só aos outros; agora, afundados em dívidas e galinhas no quintal melhores do que as da vizinha, sabemos, lá bem no fundo, que somos nós próprios os enganados. E queixamo-nos muito. E trabalhamos nada.

PS - Boa sorte para os putos na final.

PPS - Não me levem a mal, mas o plural que usei não me inclui, assim como não incluirá muitos dos poucos que por aqui passam. Mas tem de incluir alguém, que a culpa, essa, está prometida desde que nasceu a um qualquer segundo filho de boas-famílias.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:39


página facebook da pegadatwitter da pegadaemail da pegada



Comentários recentes

  • Anónimo

    Eles são um grupo profissional de hackers além da ...

  • Godsto Mamedu

    Trazemos a você boas notícias dos cartões master e...

  • Anónimo

    Eles são um grupo profissional de hackers além da ...

  • Anónimo

    kkkk tipo a classe média de Cuba ou da Venezuela?

  • Anónimo

    Olá, telespectadores, quero compartilhar minha exp...

  • Anónimo

    Eles são um grupo profissional de hackers além da ...

  • Anónimo

    Muitos QUEREM SER HACKERS ONLINE Cuidado com os am...

  • Barei Khan

    Olá, deparei-me com um grupo de hackers certificad...

  • Anónimo

    SE VOCÊ PRECISA DE UM SERVIÇO DE HACKING GENUÍNO E...

  • Anónimo

    SE VOCÊ PRECISA DE UM SERVIÇO DE HACKING GENUÍNO E...


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Pesquisar

Pesquisar no Blog