Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



SICK, SICK, SICK...

por Rogério Costa Pereira, em 24.10.13

photo.jpg
Temos os tribunais de primeira instância, temos a Relação e temos o Supremo Tribunal de Justiça. E depois temos a SIC, que está a reapreciar em meia-dúzia de minutos, todo um caso que terá levado meses a julgar. O programa chama-se "A Prova". E a prova que o programa criteriosamente escolher, para vender o infame produto, é a que fica a valer. O povo quer? A SIC dá. Trial by newspapers no seu "melhor". Levante-se o povo. A sentença está prestes a sair. Em horário nobre.

SIC(K)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:11


Escravidão ou Forca?

por Fernando André Silva, em 31.08.12

Há muitos anos, num típico Reino distante, o Rei mandou contratar um Sábio para entreter o seu povo, mandando construir um palco na praça principal.

O Sábio depressa se tornou numa referência para o povo, não só ensinando, mas também entretendo. A praça enchia-se a qualquer hora para ver e ouvir o Sábio, que trazia novidades do Reino e de outras províncias distantes, informava sobre todos os assuntos pertinentes e entretinha como ninguém.

O Rei, já velho e perto da morte, via o Sábio como uma forma de manter o povo sereno, e, pensando no seu sucessor, decidiu contratar outro Sábio. Mandou montar outro palco ao lado do primeiro, um pouco mais pequeno, e ordenou ao novo Sábio que desse a conhecer ao povo outros assuntos que o primeiro não dominava, como as artes, a cultura ou a actividade física.

Quando o Rei morreu, fez-se a sucessão, e o novo Rei não largava o palco do primeiro Sábio, dando ele próprio as informações sobre o Reino ao povo. Passado uns anos, os nobres da corte resolveram afastar o novo Rei, mandando-o para o exílio, e tomaram conta do Reino e dos palcos dos dois Sábios, explorando ao máximo a visibilidade que aquele lugar permitia.

Os novos governantes, fascinados com o poder dos Sábios, mandaram construir mais dois palcos, deixando-os para dois outros Sábios, um enviado pela Nobreza e outro pelo Clero. O povo, já um pouco saturado dos dois Sábios anteriores, começou a frequentar os novos palcos, deixando assim os antigos às moscas. O Sábio mais velho, receando a morte, decidiu imitar os dois novos opositores, e com isso conseguiu recuperar alguns dos seus fiéis, mas o Sábio mais novo, que permanecia interessado na cultura, na arte e no desenvolvimento cívico, começou a pregar para as próprias moscas.

Com o enriquecimento dos restantes nobres, outros palcos foram montados numa zona mais afastada da praça principal, e vieram Sábios de todo o mundo, para enriquecer a cultura do povo, a troco de dinheiro.

Num dia, após uma discussão acesa com os seus conselheiros, o governante ordenou a um dos seus ministros que apurasse quantas pessoas assistiam às prestações dos Sábios, e o resultado não foi muito agradável. Os dois primeiros, pagos pelo Governo, não tinham afluência necessária para serem influentes no Reino. Então, o governante mandou fazer umas alterações nos quatro palcos da praça, às quais chamou de TDT, mas ninguém percebeu o motivo.

Após meses de obras, os quatro palcos brilhavam, cheios de novas engenhocas, e davam um ar moderno ao Reino. Pouco depois de estrearem os novos palcos, os dois primeiros Sábios tiveram uma desagradável surpresa. No primeiro palco ergueu-se uma jaula que prendeu o Sábio mais velho. Surpreendido, o mais novo olhava para o velho companheiro, temendo o que lhe poderia acontecer. Enquanto isso, cai uma corda de forca sobre o segundo palco, penetrando a cabeça do Sábio Nº2. Os outros dois Sábios, o Nº3 e o Nº4, olhavam bastante assustados, mas continuaram a sua pregação, com receio de represálias por parte dos governantes.

No momento em que escrevo isto, o Primeiro Sábio continua na jaula, enquanto vários mercadores, do Reino e de fora, vão licitando o Sábio, que se tornou assim num escravo, à espera do próximo dono. O mais novo não teve tanta sorte. Continua com a corda ao pescoço, chorando desalmadamente, esperando que tudo não passe de um sonho. Em todos os contos e mitologias, há sempre um salvador de último minuto, que liberta o escravo e corta a corda, mas desta vez não acontecerá nada disso, pois já está escrito no oráculo que a venda de um e a morte do outro são garantidas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00


O apagão do buzinão

por Rogério Costa Pereira, em 16.08.12

No meu post anterior passei por isto como cão por vinha vindimada

Não fiz de propósito, é certo (o tema era outro), mas, não vá a coisa passar desapercebida, vou repetir-me num post dedicado. Ontem, durante o discurso do pequeno líder no Pontal, num directo da SIC, ouvia-se em fundo um buzinão. Para quem não saiba, a rentrée dos laranjinhas tem sido na marginal da Quarteira; este ano foi num parque aquático ali por perto. Não fosse o diabo tecê-las e algum desvairado começar a assobiar o grande jotinha. Ou um sniper aparecer a cuspir caroços de azeitona; nunca se sabe. 

Adiante.

Ouvia-se, pois, o buzinão em fundo, enquanto vexa esgalhava um discurso same o' same o'. Mais um escarro na cara do pessoal made in troika; nada de novo, portanto.

A novidade veio durante a transmissão em directo, na SIC, em que os carros pararam todos de buzinar ao mesmo tempo. Nem uma buzinadela, nem um pisca-pisca, ao menos. Num exacto momento -- num exacto segundo! -- acabou-se o buzinão.

Duvidando da sincronia, ainda perguntei à minha mulher: "(não) ouviste isto?"  E também ela não ouviu mais aquilo.

Ora, o jornalismo, como o vejo, num directo ainda para mais, deve retratar fielmente o acontecimento (digamos que um directo não é uma crónica de opinião). 

Ontem, em directo do parque aquático, apagaram-nos parte da realidade. Eu, por exemplo, estava a achar o buzinão bem mais interessante do que o discurso do moço de recados da Merkel.

De sentido em sentido, lá os vamos perdendo todos. Ontem, deu-se o caso de eu ter perdido metade da audição. O que se segue? Vão-me arrancar a língua?, cortar os dedos?, arrancar-me o nariz? Vão-me enfiar garfos nos olhos e fazer carrossel?

SICK...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:31


Para o Rogério com amor...da SIC

por Luis Moreira, em 30.01.12
Mais uma certidão médica a estragar as estatísticas do absentismo dos professores. Suicidou-se há meses e deu para professores e sindicatos mostrarem ao mundo como a profissão é cruel, difícil e perigosa, merecem chegar todos ao topo da carreira e sem avaliação. Agora a SIC, como quem não quer a coisa diz-nos que afinal a "morte do professor foi exagerada".
No entanto (esta comunicação Social dá-nos cabo da "pinha") depois do Guedes de Car(v)alho quem nos diz que isto não é mesmo a SIC a enviar "sinais" para os secretas que estão no inimigo a Ongoing? !

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:45


Há erros do caralho...da silva

por Rogério Costa Pereira, em 28.01.12

(imagem via Paulo Querido)

  Adenda: instruções para escrever correctamente o nome do senhor que segue.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:25


página facebook da pegadatwitter da pegadaemail da pegada



Comentários recentes

  • Anónimo

    Se você precisar de um serviço de hackeamento prof...

  • Anónimo

    Muitas pessoas disseram que os hackers invadiram d...

  • Anónimo

    SE VOCÊ PRECISA DE UM SERVIÇO DE HACKING GENUÍNO E...

  • Anónimo

    SE VOCÊ PRECISA DE UM SERVIÇO DE HACKING GENUÍNO E...

  • Anónimo

    SE VOCÊ PRECISA DE UM SERVIÇO DE HACKING GENUÍNO E...

  • Anónimo

    SE VOCÊ PRECISA DE UM SERVIÇO DE HACKING GENUÍNO E...

  • Anónimo

    QUERO HACKEAR UM BLOG!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • Anónimo

    oi me explica mais siobre isso

  • Anónimo

    Necesita un préstamo urgente para revivir sus acti...

  • Anónimo

    SE VOCÊ PRECISA DE UM SERVIÇO GENUÍNO E PROFISSION...


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Pesquisar

Pesquisar no Blog  



subscrever feeds