Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Não se vende ? Estrangula-se.

por Francisco Clamote, em 25.01.13
Frustrada a privatização da RTP e o mirabolante negócio da venda de 49%, com entrega da gestão à Newshold, nem por isso o ministro Relvas ficou desempregado e muito menos se pode considerar um derrotado, ainda que o seja aparentemente.

Pelo contrário, o ministro tem já entre mãos o "processo ambicioso, muito exigente e doloroso” de proceder à “reestruturação profunda” da RTP, reestruturação que, a confirmarem-se as notícias, passa pelo despedimento de 600 trabalhadores, numa operação que representa, nem mais nem menos, que o estrangulamento da empresa pública de televisão e de radiodifusão.

Um processo que pode ser visto como uma espécie de "vingança do chinês", ou melhor, uma vingança do Relvas, o único ministro que é capaz de levar a cabo o "doloroso" processo com todo o gosto e que, através desta manobra, consegue transformar a aparente derrota, às mãos de Portas, em mais uma vitória.

As notícias que davam o Relvas de saída do governo, após após a resolução do imbróglio da privatização, eram, não só manifestamente exageradas, como completamente erradas. Relvas, de ministro indescartável pela sua nunca explicada ligação a Coelho, passou também a ser imprescindível. Não só pela razão supra, mas também porque o governo, sem Relvas, podia ainda ser uma espécie de governo, mas não era a mesma coisa. Relvas e o governo, até nas equivalências, se conjugam: se Relvas é equivalente a um licenciado, o governo é equivalente a uma comissão liquidatária.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:41


Escravidão ou Forca?

por Fernando André Silva, em 31.08.12

Há muitos anos, num típico Reino distante, o Rei mandou contratar um Sábio para entreter o seu povo, mandando construir um palco na praça principal.

O Sábio depressa se tornou numa referência para o povo, não só ensinando, mas também entretendo. A praça enchia-se a qualquer hora para ver e ouvir o Sábio, que trazia novidades do Reino e de outras províncias distantes, informava sobre todos os assuntos pertinentes e entretinha como ninguém.

O Rei, já velho e perto da morte, via o Sábio como uma forma de manter o povo sereno, e, pensando no seu sucessor, decidiu contratar outro Sábio. Mandou montar outro palco ao lado do primeiro, um pouco mais pequeno, e ordenou ao novo Sábio que desse a conhecer ao povo outros assuntos que o primeiro não dominava, como as artes, a cultura ou a actividade física.

Quando o Rei morreu, fez-se a sucessão, e o novo Rei não largava o palco do primeiro Sábio, dando ele próprio as informações sobre o Reino ao povo. Passado uns anos, os nobres da corte resolveram afastar o novo Rei, mandando-o para o exílio, e tomaram conta do Reino e dos palcos dos dois Sábios, explorando ao máximo a visibilidade que aquele lugar permitia.

Os novos governantes, fascinados com o poder dos Sábios, mandaram construir mais dois palcos, deixando-os para dois outros Sábios, um enviado pela Nobreza e outro pelo Clero. O povo, já um pouco saturado dos dois Sábios anteriores, começou a frequentar os novos palcos, deixando assim os antigos às moscas. O Sábio mais velho, receando a morte, decidiu imitar os dois novos opositores, e com isso conseguiu recuperar alguns dos seus fiéis, mas o Sábio mais novo, que permanecia interessado na cultura, na arte e no desenvolvimento cívico, começou a pregar para as próprias moscas.

Com o enriquecimento dos restantes nobres, outros palcos foram montados numa zona mais afastada da praça principal, e vieram Sábios de todo o mundo, para enriquecer a cultura do povo, a troco de dinheiro.

Num dia, após uma discussão acesa com os seus conselheiros, o governante ordenou a um dos seus ministros que apurasse quantas pessoas assistiam às prestações dos Sábios, e o resultado não foi muito agradável. Os dois primeiros, pagos pelo Governo, não tinham afluência necessária para serem influentes no Reino. Então, o governante mandou fazer umas alterações nos quatro palcos da praça, às quais chamou de TDT, mas ninguém percebeu o motivo.

Após meses de obras, os quatro palcos brilhavam, cheios de novas engenhocas, e davam um ar moderno ao Reino. Pouco depois de estrearem os novos palcos, os dois primeiros Sábios tiveram uma desagradável surpresa. No primeiro palco ergueu-se uma jaula que prendeu o Sábio mais velho. Surpreendido, o mais novo olhava para o velho companheiro, temendo o que lhe poderia acontecer. Enquanto isso, cai uma corda de forca sobre o segundo palco, penetrando a cabeça do Sábio Nº2. Os outros dois Sábios, o Nº3 e o Nº4, olhavam bastante assustados, mas continuaram a sua pregação, com receio de represálias por parte dos governantes.

No momento em que escrevo isto, o Primeiro Sábio continua na jaula, enquanto vários mercadores, do Reino e de fora, vão licitando o Sábio, que se tornou assim num escravo, à espera do próximo dono. O mais novo não teve tanta sorte. Continua com a corda ao pescoço, chorando desalmadamente, esperando que tudo não passe de um sonho. Em todos os contos e mitologias, há sempre um salvador de último minuto, que liberta o escravo e corta a corda, mas desta vez não acontecerá nada disso, pois já está escrito no oráculo que a venda de um e a morte do outro são garantidas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00


Relvas já não privatiza a RTP

por Luis Moreira, em 30.05.12

A Ongoing  o Expresso e a SIC são mais que adversários . São inimigos. Odeiam-se a ponto de terem acções em tribunal, porque a Ongoing quis controlar a Impresa que controla o Expresso e a SIC. Estão envolvidos, neste caso, elementos de todas estas empresas o que não é casual. Como pano de fundo temos um ministro que quer privatizar a RTP e, assim, tirar um bocado importante do mercado de publicidade às televisões existentes. Depois, adivinhem lá, um dos pretendentes à privatização da RTP é a Ongoing, até lá tem o Eduardo Moniz para desenvolver o negócio...

Todos os analistas que apontam a demissão a Relvas são do PSD o que não deixa de ser curioso ( Marques Mendes e Marcelo). A demissão de Relvas abre caminho a interessados no negócio da privatização? Isto é, substituir Relvas por um defensor da RTP pública?

Pelo que vi na Assembleia e agora na Comissão ninguém é capaz de conectar decisões do ministro com as mensagens do ex-espião que parece que se vendia fornecendo informações a muita gente.

Relvas vai manter-se no governo mas a privatização da RTP ficou mais longe! E Relvas já não aguenta outra igual. Está muito desgastado e é o "monstro" do governo na opinião pública como Santos Pereira é o "patinho feio".

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:38


Nem todas, Gaspar, nem todas!

por Francisco Clamote, em 21.04.12
No meu país, as pessoas estão completamente dispostas a sacrificar-se e a trabalhar mais para que o programa de ajustamento seja um sucesso desde que esse esforço seja repartido de forma justa” (mais uma tirada de Vítor Gaspar, durante a sua recente passagem pela sede do FMI). 
Gaspar, manifestamente, não estava nos seus melhores dia. Então não é que os factos, também neste particular, se encarregam de o desmentir.
Pelos vistos, nem todas as pessoas estão por tais ajustes. Os administradores da RTP, pelo menos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:56

A Comissão de trabalhadores exige que haja uma limitação de vencimentos igual ao vencimento do Presidente da República : 6 980 euros.

"A RTP não vende uma mercadoria, presta um serviço público. Mas, mesmo que erradamente o suposto 'valor de mercado' estivesse na origem destas decisões, ninguém no mercado de entretenimento português 'vale' neste momento 27.000 euros mensais".

Basta o governo reestruturar com firmeza a RTP e logo a verdade vem ao de cima pela boca dos próprios trabalhadores. Há salários milionários que não são razoáveis numa instituição que deve prestar serviço público, nem estar no mercado com o mesmo comportamento dos privados. Uma televisão pública igual aos privados não tem razão de ser e, por isso, devem fechar os canais que não prestam esse serviço público e o dinheiro assim poupado deve ser canalisado para o essencial.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:00

Os apresentadores da RTP estão a fazer novos contratos mas revendo os vencimentos em baixa. Não pode ser de outra maneira num país onde se coloca muitas vezes - demasiadas vezes- o interesse em se manter uma estação de televisão que de "serviço publico" tem muito pouco e que custa milhões aos contribuintes.

Não sei que RTP vamos ter no futuro mas a que temos tem que ser reduzida, a maioria dos programas podem perfeitamente ser transmitidos pelas privadas em "outsourcing" a um preço muitíssimo mais baixo.

"Ao que o Diário Económico apurou, todos os apresentadores do canal, como José Carlos Malato, Catarina Furtado, Jorge Gabriel, Fernando Mendes ou Sílvia Alberto, que têm os seus contratos a aproximar-se do fim, têm reunido com a direcção de programas para rever o valor dos contratos."

Os gestores das empresas públicas também não podem ter ordenados superiores ao do Primeiro Ministro com excepção das que concorrem em mercados exteriores.

Os abusos estão a ser corrigidos! 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:06


RTP - mantenha-se o que é serviço público!

por Luis Moreira, em 21.11.11

Extinguir o 2º canal, ficando apenas com o RTP1. Não privatizar nenhum dos canais. Extinguir o canal África. Manter mas mudar por completo os conteúdos da RTPI, para chegar aos 16 milhões de portugueses espalhados pelo mundo. Extinguir a RTP-Madeira e a RTP-Açores, substituindo-as por delegações regionais da RTP1.

E, o que ficar passar a ser reconhecido como serviço público, pagando, sem subterfúgios, como se paga a saúde ou a educação. Sem publicidade. Com uma grande qualidade. Na informação, nos programas culturais, históricos, políticos... e não andar a querer fazer o mesmo que os privados com programação "enlatada" e que ofende o bom senso da maioria dos portugueses.

Ter qualidade; ser paga pelo estado; sem publicidade; e com a racionalização de meios conforme a baixar os custos o máximo possível.

O Miguel Sousa Tavares publicou o que pensa e que no essencial é isso que está aí no texto. Há quem não queira mudar nada, como não querem mudar no Serviço Nacional de Saúde, ou nas Empresas de Transporte ou na Educação...

Mas esses estão contra tudo o que possa ser melhorado. O que mexe e tem vida é muito perigoso...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:00


Gavetas da Memória #2 -- Abertura de emissão RTP (1970/1980)

por Rogério Costa Pereira, em 13.11.11

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:15


A RTP

por Luis Moreira, em 05.11.11

Num país onde muitos poucos lêem, a começar pelos jornais, as pessoas são informadas pelas televisões. É o mais cómodo, não obriga a esforço nenhum,absorvem tudo . Daí a grande importância das televisões. Deixar que a informação fique só nas mãos de privados é o mesmo que dizer que ficamos entregues à propaganda privada. Existe informação instrumentalizada pelos governos mas existe também instrumentalizada pelos privados.

É um bico de obra!

Pagamos a RTP mas não pagamos os privados e a RTP pode ser controlada minimamente por um poder político e democrático. Se não há esse controlo democrático a culpa não é da RTP. É do poder político!

A RTP podia ser uma espécie de balança entre os poderes corporativos e interesses económicos que dominam os privados e, esse, ser o verdadeiro serviço público, porque entre telejornais, entrevistas e concursos pouco se encontra de diferente.

Podemos ter uma RTP mais barata a fazer essa função de equilíbrio? Óptimo, reestruture-se, acabe-se com os abusos e com as mordomias e com os salários principescos.

Acabe-se com o monstro empresarial em que foi transformada a RTP que custa muitos milhões e, defenda-se uma televisão à nossa medida.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 23:15


O erro

por n, em 24.10.11

Se o erro já tinha sido anunciado, por diversas vezes, e iniciado o seu caminho, agora parece confirmado em todo o seu esplendor. Nasceu, existe, viverá. Confesso, já conto o tempo até que chegue o dia em que vou ter um canal - talvez controlado por capitais angolanos, talvez controlado pela Ongoing/Cofina, talvez por estes todos ou outros - que me permitirá ter acesso a mais umas quantas novelas e talvez uma espécie de Casa dos Segredos, ao final da noite. Espero pelo dia em que vou ter mais programas de conversa de manhã e à tarde. Vivo pelo dia em que a informação seja feita essencialmente em Lisboa e nos arredores. Vivo pelo dia em que surja outro canal para dar à naúsea repetições de filmes.
É um erro e um dia, daqui a muitos anos, vamos perceber isso.
No fim, resta esperar que o tal canal não seja vendido a preço de saldo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 17:11

É certo que nem todos possuem o dom da oratória, e este Ministro não a possui de todo, mas existe a hipótese de recorrer ao "media training". Os defeitos são combatidos, as debilidades disfarçadas e o bom é potenciado.

Para a próxima entrevista um dos pontos que o Ministro das Finanças pode começar a tentar resolver é a muleta "Repare que...", usada várias vezes para começar as respostas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:33


A Privatização da RTP

por Luis Moreira, em 05.09.11
A privatização de toda a RTP ou de uma parte levanta questões pertinentes como se pode ver nos comentários a este poste. E, todos são estimáveis. Para mim a questão coloca-se como quando um de nós vai comprar um carro. Se tem dinheiro compra um BMW se não tem compra um Citroen.
Porque em termos de custos os serviços da RTP ( pelo menos a grande maioria) podem ser emitidos pelas estações privadas, comprando tempo de antena.Isto é incomensuravelmente mais barato.
Os serviços que nos ligam aos nossos emigrantes e aos países Lusófonos não têm preço, acho eu. Todos os outros são serviços que é muito bonito tê-los mas a verdade é que tudo é uma questão de prioridades. Tenho uma empresa que custa duas ou três centenas de milhões de euros (sem a qual podemos perfeitamente viver) neste país que não consegue tirar da pobreza dois milhões de pobres? País que sangra o Estado Social até mais não poder?
Vão-me dizer, mas há instituições e empresas públicas, que todos pagamos, muito menos importantes que a RTP, acabe-se com essas! Óptimo, vamos a essas, o problema é que ano após ano continuamos a pagar cada vez mais e, em vez de diminuírem, aumentam!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 21:51


Um crime sem remissão nem remição

por António Leal Salvado, em 03.09.11
Sobre a RTP - o que é e o que querem fazer dela - parece estar tudo dito. E há muito quem pretenda que nada mais se diga. Que não se fale mais nisso. Mas nunca se encontrará tudo dito. E nada será dito em demasia.
Luis Moreira já sublinhou [RTP - MANTENHA-SE O QUE É SERVIÇO PÚBLICO, ACABE-SE COM O QUE NÃO É], os dados factuais mais atualmente imperiosos. É importante tê-los presentes.
Mas há ainda um 'pormaior' a reforçar o essencial: a notável eficiência do novo conceito RTP, Rádio e Televisão de Portugal, sobretudo no que respeita ao mundo da informação (RTP-Antena 1) e ao da cultura (RTP-Antena 2). Eu, que sou UTENTE assíduo desta faceta do serviço (e conheço o que se faz nos maiores países da Europa), digo que é um exemplar serviço PÚBLICO.
DOAR este património aos compadres de corja ou famiglia será um crime de lesa nação. Um crime histórico. Pela parte que me toca, bastará para sentenciar a minha definitiva e absoluta inconciliação com gente de tamanho ódio ao País e ao Povo com que me identifico e a quem individualmente devo as mais profundas raizes de lealdade e honra de mim próprio.
Nunca perdoarei, nunca mais verei como gente, nunca mais darei tréguas a tão infame escória de espoliadores da pátria que não merecem.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:32

O que deveria saber sobre a RTP, mas a Ongoing não lhe vai contar.

1º Sabia que todos os países da Europa comunitária e inclusive os Estados Unidos tem serviços públicos de televisão, e que o modelo misto de mercado que existe em Portugal é a regra e não a exceção?

2º – Sabia que o serviço público de televisão prestado pela RTP é não só um dos mais baratos da Europa, é também um dos mais baratos do mundo? Custa cerca de 15 centimos por dia, não por pessoa, mas por contador de luz.

3º Sabia que por esses 15 centimos são emitidos diariamente 11 canais de televisão com programação diferenciada (RTP1, RTP2, RTPN, RTP Memória, RTP África, RTP Internacional Asia, América,Europa, RTPMobile, RTP Madeira, RTP Açores) 7 antenas de rádio (Antena 1, Antena 2, Antena 3, RDP África e RDP Internacional, Antena1 Madeira, Antena1 Açores), Rádio, Televisão e Noticias na plataforma Multimédia, (NET), com uma audiência potencial de cerca de 200 milhões de pessoas?

4º Sabia que a RTP possui o maior e melhor arquivo audiovisual do país e um dos melhores do seu género em todo o mundo?

5º Sabia que os trabalhadores da RTP são dos mais produtivos do sector televisivo europeu, recebendo menos salário liquido do que os seus congéneres no privado e que auferindo em média 50% do que os seus colegas europeus?

6º – Sabia que os trabalhadores da RTP não têm aumentos salariais reais desde 2003, sendo os trabalhadores do sector estado os que mais percentual de poder de compra perderam numa década?

7º Sabia que a publicidade da RTP não entra para os seus cofres mas está sim indexada ao pagamento de um empréstimo bancário a um sindicato bancário alemão e holandês, que assumiram o passivo?

8 – Sabia que essa dívida ronda os 600 milhões de euros a um spread baixíssimo, e que este sindicato deseja renegociar o empréstimo à anos?

9 – Sabia que no caso da RTP ficar sem publicidade o accionista Estado teria que assumir o pagamento da dívida, mais juros por inteiro e de imediato?

10 – Sabe quem pagará a dádiva de um canal à Ongoing pelo governo de Passos Coelho? Você!.. e vai custar-lhe 600 milhões de euros.”

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 20:00

A RTP, SIC e TVI vão partilhar a transmissão dos jogos do Euro 2012. Resta perguntar: a RTP que irá transmitir os jogos, em 2012, é a RTP tal como a conhecemos hoje, é a RTP que já se decidiu como irá ser, ou é a RTP para a qual foi criada uma comissão que a irá estudar e apresentar as soluções que se considerem pertinentes para o panorama audiovisual português?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 17:53


página facebook da pegadatwitter da pegadaemail da pegada



Comentários recentes

  • Aboubacar Aboubacar Sacko

    Se você precisar dos serviços de um hacker ético c...

  • Aboubacar Aboubacar Sacko

    Se você precisar dos serviços de um hacker ético c...

  • Anónimo

    Eles são um grupo profissional de hackers além da ...

  • Anónimo

    Quando se trata de hackers, somos profissionais, t...

  • Anónimo

    ENTRE EM CONTATO PARA TODOS OS TIPOS DE TRABALHO H...

  • Anónimo

    Se você precisar de um serviço de hackeamento prof...

  • Aboubacar Aboubacar Sacko

    Se você precisar dos serviços de um hacker ético c...

  • Anónimo

    OLÁ!!! Você é um homem ou uma mulher? Você precisa...

  • Anónimo

    Se você precisar de um serviço de hackeamento prof...

  • Anónimo

    Ile é conectado como o controle de acesso à Intern...


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Pesquisar

Pesquisar no Blog  



subscrever feeds