Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


É uma guerra injusta e desigual a que se trava entre colonos Israelitas e Palestinianos (veja os três vídeos no Publico). Infelizmente vale pouco dizermos que é uma guerra injusta. O que parece óbvio é que se trata de uma guerra que só pode ter um final. Duas nações vizinhas a viver em paz. Nem os Israelitas serão exterminados no que resta dos fornos nazis nem os Palestinianos serão deitados ao mar. Ser corajoso, nestas circunstâncias, é seguir o caminho do diálogo e da paz. Tantas são as vítimas.

"Segundo o relato da B’Tselem, por volta das 16h30 de sábado, um grupo de colonos, “alguns armados”, aproximaram-se da zona onde vivem os palestinianos, junto ao colonato Yitzhar, e atiraram pedras e abriram fogo. Depois acorreram ao local mais palestinianos, que tentaram responder ao ataque com pedras, apareceram os soldados e os polícias de fronteira."



Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:00

A UNESCO reconheceu a Palestina como membro de pleno direito! É um passo histórico em direcção à única solução pacifica e razoável do problema que opõe palestinianos e israelitas.

Há um mês a Autoridade Palestiniana apresentou na ONU o pedido do reconhecimento de Estado Independente, embora se saiba que por enquanto os US vetarão tal pretensão, há países com direito a veto que se movimentam no sentido do reconhecimento. Uma larga maioria de membros da ONU já reconhecem o Estado palestiniano e  o movimento é já imparável. Sob pressão da sua própria população, Israel vê a presente geração de judeus americanos posicionarem-se no sentido de uma solução justa.

Os que sempre estiveram de boa fé, sempre tiveram presente que só o reconhecimento mútuo e a boa vizinhança dariam lugar à PAZ! É impensável que se extermine todo um povo seja ele o israelita ou o palestiniano.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:00


Palestina - Dois Estados, Duas Nações

por Luis Moreira, em 26.09.11

 

 

A iniciativa da Autoridade Palestiniana junto da ONU, pelo reconhecimento do Estado Palestiniano, levanta questões muito interessantes.

Israel, forçado, ainda, a ganhar tempo com conversações, vai ter que ver 190 países reconhecerem o direito dos Palestinianos a um Estado independente. Os Estados Unidos, obrigados a um veto por razões eleitorais( presidenciais de 2012) e pela força do lobby judaico americano vai arcar, sozinho, com essa responsabilidade.

Por isso, os US tentam a todo o custo que as partes reiniciem as conversações, mas os Palestinianos colocam condições prévias:  negociações sim, mas ao mesmo nível: estado a estado. Congelamento dos colonatos; regresso às fronteiras anteriores a 1967.

Israel quer o reconhecimento pela Palestina do Estado de Israel.

Na política interna, Israel pode ver os dolorosos avanços na relação com os Palestinianos serem postos em causa e, na Palestina, o radical Hamas só pode desejar um insucesso e ver a sua força crescer.

Uma coisa é certa! A PAZ é o único caminho! E o resultado só pode ser um: dois Estados !

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:00

 

 

 

 

 

Negociar, eis o que se pede mais uma vez aos homens de boa vontade de ambas as partes.Não há solução fora desta premissa! Não é possível vencer pelas armas todo um povo, seja ele o palestiniano ou o israelita. Não é possível exterminá-lo seja ele o  povo palestiniano ou o povo israelita.

Não há pois vencedor nem vencido! Vão ambos viver em paz ou vão continuar a matar-se, eis a escolha.

As fronteiras de 1967 ou outras? Passarão a ser pacificas. Os colonatos? Passarão a ser lares. Jerusalém? Passará a ser a cidade maravilhosa que já foi.

Tudo é preferível a viverem nesta guerra absurda que não tem fim.

Aqueles que incitam ao ódio e à violência estão a atacar tanto o povo Palestiniano quanto o povo Israelita. Não há saída só para um!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:00

Diz o Rogério: "o diabo está nos detalhes..." e, para já, como se vê, tem toda a razão!

Há sempre maneira de não tomar posição nenhuma, principalmente quando estamos a "golfadas de oxigénio" de outros. Primeiro deixa-os tomar posição que nós vamos a seguir.

Passos Coelho falou com o Presidente da Autoridade da Palestina que hoje entregou na ONU o requerimento para que a Palestina seja admitida como membro de pleno direito. Isto é, para ser reconhecido como Estado livre e independente. Todos sabemos que os Estados Unidos vetam tal desejo, mas depois de ser reconhecido por 180 países e, a própria FIFA o ter reconhecido, é uma questão que está dependente que algo mude em Israel! O Governo Israelita actual está prisioneiro da extrema-direita religiosa que não cede num ponto fundamental. Os colonatos!

Para já é o que temos, mas o Estado Palestino é uma realidade no querer dos dois povos, que se vêm como vizinhos e que querem, antes de tudo, a PAZ!

Esperemos que o "para já" de Passos Coelho"  queira dizer "que já tomou a decisão de apoiar mas só não o faz ainda... "

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

A FIFA já reconheceu o Estado Palestino e o direito de se fazer representar no Mundial de Futebol no Brasil e nos Jogos Olímpicos em Londres.

A ONU vai ter que se confrontar com o aplauso à causa Palestina de 180 países seus membros de direito. Os Estados Unidos, mesmo usando o veto,  vão ter que andar depressa e pressionar Israel e o seu governo de "falcões". 

Nem mesmo os Estados Unidos podem estar, apenas acompanhado por Israel, contra o direito que o povo Palestino tem a um Estado independente. E, mesmo Israel, com o advento das mudanças nos países árabes, não vai ter paz enquanto não chegar a um acordo.

Oxalá os extremistas de um e outro lado não impeçam a boa vizinhança de dois estados livres, democratas e independentes!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:00

Em apoio à apresentação na ONU, na próxima sexta-feira, do pedido de reconhecimento do Estado Palestiniano, milhares de pessoas concentraram-se em várias cidades do território.

Milhares de palestinianos reuniram-se hoje por toda a Cisjordânia para manifestar o seu apoio ao presidente da Autoridade Nacional Palestiniana (ANP), Mahmoud Abbas, que pedirá na sexta-feira ao Conselho de Segurança da ONU o reconhecimento da Palestina como Estado de pleno direito.

"Sim a um Estado, sim à liberdade, sim a ser um membro de pleno direito", lê-se no cartaz de Ahed, um outro manifestante na praça de Al Manara. "

Israel nunca terá paz sem que reconheça o direito à existência de um Estado Palestiniano!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:00


O 194º Estado - Palestina

por Luis Moreira, em 21.09.11

Nada têm a perder com o pedido de reconhecimento do Estado Palestiniano, é o sentimento geral dos palestinianos."As pessoas querem sair deste impasse, estão fartas deste conflito". Desde os acordos de Oslo que os palestinianos estão prontos para a paz, mas outro tanto não acontece com os israelitas, é por isso que o governo israelita é chefiado por alguém como Netanyahu, com quem o diálogo é impossível.

O povo palestiniano quer viver em liberdade, quer o fim da ocupação, quer um estado palestiniano. Por toda a cidade pequenas bandeiras com as cores verde, vermelho, branco e preto tremulam ao vento.

Outros há que acreditam que a melhor solução é um só estado onde palestinianos e israelitas vivam lado a lado, porque os colonatos foram criados estrategicamente, espalhados por Jerusalém oriental e pela Cisjordânia, por forma a tornar impossível a separação física. As duas economias estão ligadas. A única solução é um estado democrático binacional em que palestinianos e israelitas vivam como iguais.

A esperança passa por aqui!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:15


Estado Palestiniano - Israel sob pressão

por Luis Moreira, em 16.09.11

Uma das consequências mais visíveis e importantes das mudanças que estão a acontecer nos países árabes, é a pressão que estes estão agora em condições de exercerem sobre o estado de Israel.

Há uma maioria clara de países na Assembleia Geral da ONU que reconhecem o novo estado Palestiniano, conforme proposta avançada unilateralmente pelas autoridades palestinianas . A Turquia com ambições de liderança regional confronta Israel com exigências e o Egipto junta agora a sua voz avisando Israel que "os acordos de Campus Davide não são sagrados", podem mudar se a Paz e a Justiça o exigirem.

"Islão e Democracia não são contraditórios!" assegura o Primeiro Ministro Turco!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00


Vamos ter um Estado Palestiniano!

por Luis Moreira, em 30.08.11

O Primeiro Ministro Israelita  estuda as fronteiras de um futuro Estado Palestiniano, já reconhecido por centena e meia de países.

Ainda com o veto dos US não passou na ONU, mas os sinais são cada vez mais esperançosos.

Oxalá que os bacterologicamente puros não venham, como habitualmente, colocar pedras na engrenagem, com as iniciativas de paz e outros movimentos que mais não fazem que atrasar e prejudicar o processo de reconhecimento do Estado Palestiniano!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:00


Palestina/ Israel - dois estados!

por Luis Moreira, em 26.08.11

 

Caros amigos, 

Hoje o Conselho de Segurança da ONU se reuniu para discutir o apelo da Palestina para se tornar o 194º país do mundo. No entanto, governantes de países de destaque ainda estão em cima do muro. Somente um esforço gigantesco da opinião pública pode mudar a situação.

A Avaaz fez um pequeno, mas emocionante vídeo mostrando que essa proposta legítima é de fato a melhor oportunidade para acabar com o beco sem saída das infinitas negociações mal-sucedidas e abrir um novo caminho para a paz.
Clique para assistir o vídeo, assine a petição e, em seguida, encaminhe para todos.

Enquanto a violência se espalha novamente e as tensões sobem no Oriente Médio, uma nova proposta de independência da Palestina ganha fôlego em todo o planeta. Se conseguirmos a aprovação dessa proposta na ONU, ela poderá significar um novo caminho para a paz. 

Porém, os chefes de governo de países de destaque ainda estão em cima do muro e para convencê-los a apoiar a independência da Palestina precisamos reforçar a pressão da opinião pública. Muita gente acha que não entende a situação suficientemente bem para se mobilizar. Para ajudar, a Avaaz fez um novo vídeo de curta duração contando a verdade sobre o conflito. Se uma quantidade suficiente de pessoas assistir ao vídeo, assinar a petição e a encaminhar a todos os seus contatos, nossas lideranças serão forçadas a nos ouvir.
 Quase 10 milhões de membros da Avaaz estão recebendo este e-mail. Vamos mudar o teor da conversa sobre o Oriente Médio e criar um maremoto de apoio à independência da Palestina. Clique no link abaixo para assistir ao vídeo, assine a petição e, em seguida, encaminhe este e-mail a todos os seus contatoshttp://www.avaaz.org/po/middle_east_peace_now/?vl
 Enquanto a maioria dos palestinos e israelenses querem uma solução para o conflito baseada em dois Estados, o governo extremista de Israel continua aprovando a construção de assentamentos em áreas contestadas, alimentando ódio e massacres. Apesar dos esforços, décadas de negociações para a paz lideradas pelos EUA fracassaram na tentativa de refrear os inimigos da paz e chegar a um acordo.
 Hoje, essa proposta de independência poderia ser a melhor oportunidade em vários anos para sair do impasse, evitar outra espiral da violência e equilibrar o campo de ação entre as duas partes em favor das negociações. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:00


Pelo reconhecimento do Estado Palestiniano

por Luis Moreira, em 04.08.11

É preciso que a ONU reconheça oficialmente o Estado Palestiniano!

Pelo respeito dos legítimos direitos do povo palestiniano

 

Há muitas décadas que a legalidade internacional, expressa nas resoluções das Nações Unidas, reconhece o direito inalienável do povo palestino a viver em liberdade dentro das fronteiras de um estado livre e soberano. Em 1988, a Organização de Libertação da Palestina proclamou a independência de um Estado da Palestina nos territórios ocupados por Israel na guerra de 1967, a Margem Ocidental do rio Jordão, incluindo Jerusalém Oriental, e a Faixa de Gaza, no espírito das resoluções nº 242 e 338 do Conselho de Segurança da ONU.

Dezoito anos decorridos sobre a assinatura dos acordos de Oslo, aquela legítima aspiração continua por cumprir. Dia após dia, o povo palestino enfrenta a violenta ocupação dos seus territórios, a contínua expansão dos colonatos que o direito internacional considera ilegais e ilegítimos, a construção do muro de segregação condenado pelo Tribunal Internacional de Haia, e o bloqueio imposto sobre a Faixa de Gaza. Dezoito anos depois de Oslo, Israel persiste em desafiar o direito e a legalidade internacional.

Assim, e no quadro da iniciativa anunciada pela OLP junto das Nações Unidas, as organizações abaixo designadas apelam ao Governo Português para que, em obediência ao disposto no art. 7º da Constituição da República e aos princípios consagrados na Carta das Nações Unidas, apoie em todos os fóruns internacionais e em particular no Conselho de Segurança e na Assembleia Geral da ONU, o reconhecimento do Estado da Palestina – com fronteiras nos territórios ocupados em 1967, incluindo Jerusalém Leste – como membro de pleno direito da Organização das Nações Unidas.

Ao mesmo tempo, as organizações signatárias apelam a todos os cidadãos e, em geral, à opinião pública, para que se mobilize e manifeste, de forma comprometida e solidária, em apoio às justas e legítimas aspirações de liberdade do povo palestino. 

Lisboa, 19 de Julho de 2011

 

Organizações

Associação de Amizade Portugal Cuba – AAPC

Associação de Intervenção Democrática

Associação Opus Gay

Associação Portuguesa de Deficientes – APD

Colectivo de Solidariedade com Mumia Abu-Jamal – CMA-J

Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses – Intersindical Nacional – CGTP-IN

Confederação Nacional de Reformados Pensionistas e Idosos – MURPI

Confederação Portuguesa dos Quadros Técnicos e Científicos – CPQTC

Conselho Português para a Paz e Cooperação – CPPC

Ecolojovem - «Os Verdes»

Juventude Comunista Portuguesa – JCP

Movimento Cívico Vidas Alternativas – Rádio Comunitária

Movimento Democrático de Mulheres – MDM

Movimento pelos Direitos do Povo Palestino e pela Paz no Médio Oriente – MPPM

Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal – CESP

União dos Resistentes Antifascistas Portugueses – URAP

União dos Sindicatos do Porto/CGTP-IN

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00


Um Estado para a Palestina!

por Luis Moreira, em 28.07.11

 “Chegou a hora da independência da Palestina” afirmaram os representantes dos territórios palestinianos ao Conselho de Segurança da ONU. 120 países do Médio Oriente, África, Ásia e América Latina apoiam a iniciativa. Israel e EUA opõe-se veementemente. Avaaz.org tem petição que já recolheu mais de 500.000 assinaturas em apenas quatro dias. http://www.esquerda.net/ar​tigo/entregue-pedido-de-ad​es%C3%A3o-do-estado-da-pal​estina-%C3%A0-onu.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:00


Palestina - uma velha nação um novo Estado

por Luis Moreira, em 23.07.11

Dentro de quatro dias, o Conselho de Segurança da ONU se reunirá e o mundo terá oportunidade de aceitar uma nova proposta capaz de reverter décadas de fracasso nas negociações para a paz entre Israel e Palestina: o reconhecimento da Palestina como Estado pela ONU.


Mais de 120 países do Oriente Médio, África, Ásia e América Latina já endossaram essa iniciativa, mas o governo de direita de Israel e os Estados Unidos opõem-se veementemente a ela. Portugal e outros importantes países europeus ainda estão indecisos, mas uma gigantesca pressão pública agora poderá convencê-los a votar a favor dessa importante oportunidade de dar fim a 40 anos de ocupação militar.

As iniciativas de paz lideradas pelos EUA têm fracassado há décadas, enquanto Israel tem confinado o povo palestino a pequenas áreas, confiscando suas terras e impedindo sua independência. Esta nova e corajosa iniciativa poderá ser a melhor oportunidade de impulsionar a solução do conflito, mas a Europa precisa assumir a liderança. Vamos construir um apelo global em massa para que Portugal e outros importantes países europeus endossem imediatamente a proposta de soberania e vamos deixar claro que cidadãos de todos os cantos do mundo apoiam essa proposta legítima, não-violenta e diplomática.

 

PS: assine a petição que corre na internet

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:08


página facebook da pegadatwitter da pegadaemail da pegada



Comentários recentes

  • Ruth Breen

    It still feels incredible that my life has changed...

  • Anónimo

    Obtenha um cartão ATM em branco e dinheiro Bom di...

  • Anónimo

    Offre de prêt rapide et sérieuseLes informations s...

  • Anónimo

    Waow this is unbelievable, it is my first time to ...

  • Anónimo

    I am a veteran with the world trade organization h...

  • Anónimo

    Olá, Você precisa de um empréstimo de emergência p...

  • Anónimo

    Você busca fundos para pagar créditos e dívidas?{g...

  • Pito

    Oferta de crédito internacional,WhatsApp: +3519107...

  • Pito

    Oferta de crédito internacional,WhatsApp: +3519107...

  • Anónimo

    Precisa de um empréstimo? Empréstimo comercial? Em...


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Pesquisar

Pesquisar no Blog