Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Ode Pós-Natal

por joao moreira de sá, em 26.12.11
Foi Natal, foi Natal
Prendas a trocar,
Mas fiquei sem dinheiro
Pra me alimentar.

Foi Natal, foi Natal
Mostraste o quanto m’amas,
Foi por isso que me deste
Meias e pijamas.

Foi Natal, foi Natal
Menino nas palhinhas nu,
Sorte a dele que não passa
Uma semana só a peru.

Foi Natal, foi Natal
Coisa bestial,
Mas nem tentem medir
A tensão arterial.

Foi Natal, foi Natal
Para o ano há mais,
Mas receio que em Fevereiro
Já se vejam Pais Natais.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:28


Poema de Natal - Vinicius de Moraes

por Luis Moreira, em 25.12.11

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:00


Silent Night & Crist - Tom Waits

por Luis Moreira, em 24.12.11

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:00


O meu Presépio

por Luis Moreira, em 23.12.11

Estávamos os três em casa, eu e os meus irmãos mais novos, estavam à minha conta embora eu só tivesse para aí uns seis ou sete anos. Tínhamos um quintal de onde só saímos quando o meu pai chegava a casa, encostado a um pinhal ali entre Óbidos e Caldas da Rainha. O musgo estava ali à mão e as figurinhas do presépio coleccionava-as eu nos desperdícios que as fábricas de porcelana deitavam fora.

Só faltava a boa vontade de um adulto para iniciar o mais belo presépio de sempre. E havia um jovem adulto deficiente que andava por ali e que me ajudou a fazer uma cabana, e um rio com a prata dos maços de tabaco, e um lago com água que corria de uma mangueira e os rebanhos com as ovelhas a que a todas faltava alguma coisa ( uma orelha, uma perna...) e, o jovem foi dizer à mãe que foi lá ver e que trouxe rabanadas e filhós, e os vizinhos foram ver um presépio no quintal, sempre os presépios tinham sido feitos dentro de casa e aquele cresceu à largura do quintal com muito musgo, ramos de pinheiro e pedras. As pessoas chegavam e juntavam mais alguma coisa e o presépio passou a ser de todos, com fogueira  e bolos feitos em casa e apareceu o vinho do Porto...

O meu pai percebeu e aderiu, ele que era boa pessoa mas andava de mal com a vida, abriu as portas do quintal e da casa e a mesa foi farta coisa que a maioria dos meus vizinhos raramente ou nunca tinha.

Cantaram-se hossanas e saltou-se à fogueira no meu único presépio. Tornei a ter mais um presépio na noite em que nasceu o meu filho e outro quando nasceu a minha neta! E, desde que tenho uma família e uma casa minha nunca falta a árvore de Natal! Nos quartos alugados de estudante/trabalhador nunca houve espaço!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:00


É Natal, é Natal, ninguém leva a mal

por António Filipe, em 23.12.11

O dia 25 de Dezembro, mais conhecido pelo Dia de Natal, é uma data engraçada. Engraçada, no sentido de curiosa, porque se celebra o nascimento de um homem que, segundo os historiadores, nasceu noutra data qualquer. Começou por ser uma celebração pagã para comemorar o solstício de Inverno e que, mais tarde, os cristãos adoptaram como sendo a data do nascimento de Cristo-"O maior culto pagão religioso que alimentou a celebração de 25 de Dezembro como feriado em todo o mundo Romano e Grego foi o culto pagão de adoração ao sol - Mitraísmo-.... Este festival de inverno era chamado " A Natividade "- " A Natividade do sol" (J. Frazer: “The Golden Bough", New York, Macmillan Co., 1935 p.471).
O curioso é que, através dos tempos, esta data começou a ser celebrada por quase toda a gente, mesmo os que não são cristãos. Até os ateus (pecador me confesso) a celebram. Não passa de mais uma boa desculpa para juntar a família e conviver durante umas horas, à volta de uma mesa, bebendo uns copos e mandando as dietas à mãe. Por vezes aparecem pessoas que, durante o resto do ano, nem sequer sabem (ou fingem que não sabem) o nosso número de telefone. As operadoras dos telemóveis é que esfregam as mãos de contentes. Por pior que estejam as economias, sempre se arranja algum dinheirito para mandar umas mensagens. Sim, porque telefonar fica mais caro e é mais complicado arranjar conversa. Com as mensagens é mais barato e mais simples. Basta escrever uma mensagem (chapa 5) e enviá-la para toda a gente que esteja na lista. Muitas vezes, quem a manda nem sequer sabe para quem a mandou e quem a recebe fica todo contente, a pensar: “Olha, o gajo lembrou-se de mim!”. Pura ilusão! Mas o mais curioso é que o recipiente se sente na obrigação de retribuir e, já que vai mandar uma mensagem, porque não mandá-la para toda a gente da sua lista? Afinal, é simples, barato e só se paga ao fim do mês. E torna-se uma bola de neve. A bem das operadoras. Eu próprio também gosto de receber essas mensagens, confesso. Mas prefiro as daqueles amigos que, de vez em quando, durante o resto do ano, me telefonam e convidam: “Anda daí beber um copo. Vamos conversar um bocado” ou dos que, inesperadamente, batem à minha porta e exclamam: “Olha, apeteceu-me fazer-te uma visita!” Gosto mais assim. E depois, no Natal e no Ano Novo, já agora, também mandam um SMSzito.
Quando eu era puto, o Natal era a festa das crianças. Acordávamos com um chocolatinho no sapato (aqueles que tinham sapatos) e ficávamos todos contentes E quando era uma tablete (não “tablet”, tablete, que, naquele tempo, na minha terra ainda não se falava inglês) era uma alegria. Mais tarde, os mercados tomaram conta disto. Agora é uma festa para gastar dinheiro, às vezes em coisas fúteis. Uma importação das Américas, penso eu. Voltámos à festa pagã. Um parzinho de meias para este, um parzinho de cuecas para aquele, um lencinho para aquela… “É só uma lembrança”, dizem.
Conselho aos meus amigos e família:
Em vez de andaram, individualmente, a comprar coisas baratas para me oferecerem no Natal, juntem-se todos e talvez consigam dinheiro para uma televisão daquelas modernas. Mas não é das mais pequenas. Tudo para cima de 100 cm, que a vista já me vai faltando. E, já que estão com as mãos na massa, uma 3D, que eu gosto de coisas com mais realidade.
Também podem mandar mensagens. Não sei é se retribuo, porque, nessas alturas, as linhas têm tendência a ficar sobrecarregadas. A bem das operadoras.
Obrigado a todos e Feliz Natal.


Mr. Bean - Natal na rua

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:34


Em época de Natal oferecer...

por n, em 23.12.11

Eusébio, eu cedo de boa vontade a minha porção de bacalhau.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:48


Um Bom Natal ( com a Pegada na areia da praia)

por Luis Moreira, em 23.12.11

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:00


Carinho Universal

por Luis Moreira, em 23.12.11

CARINHO UNIVERSAL

 

               

Amigos,

 

A pintura acima  é da autoria da minha querida e saudosa mana ( Maria de Lurdes Rocha).

Atribui-lhe o nome de “Carinho Universal”.

 

Com este “carinho” desejo a todos umas BOAS FESTAS

 

Luís Rocha

 

PS: os meus irmãos Luis e Lourdes Rocha

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:00


Um Bom Natal ( com a Pegada na areia da praia)

por Luis Moreira, em 22.12.11

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:00

"Vamos comprar os presentes de Natal através de pequenos empreendedores: a vizinha que vende doces caseiros, o artesão que faz bijutaria, a nossa amiga que vende pela internet, a avó que faz malinhas em tricôt ou aquele artista que pinta quadros, etc...

Façamos com que o nosso dinheiro chegue a pessoas comuns e não às grandes multinacionais. Assim também estaremos a contribuir para que mais alguém tenha um Feliz Natal. Se gostas, partilha!!

Bom Natal Manela"

PS: Nós aqui na Pegada temos duas sugestões: "Ninices" e "manuela justino"

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00


Mensagem de Natal à Chanceler Angela Merkel

por Rolf Dahmer, em 10.12.11

Errare humanum est, sed in errare perseverare diabolicum.“ “Errar é humano mas persistir no erro é diabólico”

(Hieronymus; Seneca, Epistulae morales VI,57,12; Cicero, Orationes Philippicae 12,2)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:00

Baltazar oferece incenso; Belchior oferece ouro;  .....e vem o Gaspar e tira tudo!!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:25


Prenda de Natal em tempo de austeridade

por Luis Moreira, em 18.11.11
As nossas companheiras compreendem que a vida não está para folguedos e que as nossas camisas (usadas, usadas...) fazem um belíssimo traje para se usar segundo a imaginação de cada uma !E, andam com o odor do nosso corpo o dia inteiro! Oportunidades que a crise dá.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:00


página facebook da pegadatwitter da pegadaemail da pegada



Comentários recentes

  • Aboubacar Aboubacar Sacko

    Se você precisar dos serviços de um hacker ético c...

  • Aboubacar Aboubacar Sacko

    Se você precisar dos serviços de um hacker ético c...

  • Anónimo

    Eles são um grupo profissional de hackers além da ...

  • Anónimo

    Quando se trata de hackers, somos profissionais, t...

  • Anónimo

    ENTRE EM CONTATO PARA TODOS OS TIPOS DE TRABALHO H...

  • Anónimo

    Se você precisar de um serviço de hackeamento prof...

  • Aboubacar Aboubacar Sacko

    Se você precisar dos serviços de um hacker ético c...

  • Anónimo

    OLÁ!!! Você é um homem ou uma mulher? Você precisa...

  • Anónimo

    Se você precisar de um serviço de hackeamento prof...

  • Anónimo

    Ile é conectado como o controle de acesso à Intern...


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Pesquisar

Pesquisar no Blog  



subscrever feeds