Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Seis grandes ideias que mudaram o mundo

por Luis Moreira, em 23.05.12

No "dinheiro vivo - guru" seis grandes ideias que mudaram o mundo . Eu escolhi estas três. Siga o link e descubra as outras três.

1. Fim das guerras na Europa. Quando terminou a II Guerra Mundial, não havia na Europa memória histórica de um período de paz mais ou menos alargado. A guerra parecia ser parte intrínseca do ADN europeu. Derrotado Hitler, o secretário de estado americano George Marshall decidiu quebrar esse ciclo e concebeu um plano, dotado com 13 biliões de dólares (5% do então PIB dos EUA) para que 16 países europeus se pudessem reindustrualizar, recapitalizar e criar relações sólidas no comércio internacional. Em quatro anos as economias europeias floresceram e paz persiste até aos dias de hoje.

2. Erradicar a varíola. A varíola ainda matava milhões de pessoas em 1967, quase dois séculos após a descoberta da vacina. Foi nesse ano que a Organização Mundial de Saúde decidiu imunizar toda a população do planeta. Para isso, foi preciso desenvolver uma vacina que não precisasse de refrigeração e uma nova agulha que simplificasse a inoculação. Seguiu-se um programa que ao longo de sete anos andou por todo o lado e em vigilância constante. Em 1979, a varíola foi considerada erradicada.

4. Acabar com as cheias na Holanda. Após a grande cheia de 1953, os engenheiros holandeses avançaram para uma solução radical que iria colocar m ponto final definitivo no problema. Diques gigantescos, tecnologicamente muito avançados, formaram uma barreira que até hoje se tem revelado praticamente intransponível.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:40

Ao fim de sessenta e dois anos, fundimo-nos em algo que é difícil separar. Tornámo-nos um siamês com 27 cabeças, em que as funções vitais estão interligadas. Consequentemente, os políticos europeus não se mostram propensos a recuar. O preço por rodarmos sobre os calcanhares é geralmente elevado ou acompanhado de incerteza. É o que distingue os treinadores de bancada dos políticos com sentido do dever.

Estes últimos receiam aventuras insanas, como uma completa rutura do euro. Seria possível dividir a zona euro de maneira adequada, sem causar ondas, com cinco minutos de coragem política. O mundo inteiro poderia também sentir os abalos. Não sabemos, já que os economistas se contradizem uns aos outros.

Isso torna a política europeia indigesta e pegajosa: mal uma decisão é tomada, fica colada, não sai mais. As decisões posteriores são construídas com base nos acordos anteriores. A página nunca volta a ficar em branco.

Começar do zero não é possível, mas introduzir acertos é. E não é apenas possível, é essencial. Os últimos meses deixaram claro que é necessário fazer uma mudança de rumo. A velocidade a que os dirigentes políticos estão a ser afastados não tem precedentes. A austeridade não permite ganhar eleições e está a ficar claro que a austeridade só por si não vai salvar a economia.

A União tem de dar à população, a começar pelos gregos, alguma perspetiva de futuro. Essa deve ser a agenda para a próxima cimeira, dentro de duas semanas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:20


Mude a hora

por Luis Moreira, em 24.03.12

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:30


Lei Laboral : como é e como vai ser.

por Luis Moreira, em 20.01.12

Veja aqui as seis principais mudanças. Como é e como vai ser:

 

Férias, pontes e feriados

Banco de horas e horas extraordinárias

Despedimento

 

Indemnizações por despedimento

Subsídio de desemprego

Rescisões amigáveis e ‘lay-off'

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:00


Australia - os incomodados que se mudem

por Rolf Dahmer, em 31.10.11

Não devia ser exactamente assim porque a médio e longo prazo esta atitude não resolve e mesmo se, p.ex., todos os muçulmanos tivessem partido, qualquer dia os autralianos de gema começariam a reclamar. De facto, o homem entre outras coisas diz: “Nosso Modo de Vida“. Desconfio que, tal como as outras sociedades ociendentais, também os australianos não querem mudar. É que se eles mudassem o seu comportamento, ganhariam de novo poder solidário dentro e fora, descaindo então a taxa de refilões entre estangeiros e australianos para os números residuais.

 

Resumindo e concluindo: os sócio-sistemas que aceitam a mudança, marchando para frente, podem e devem dar-se ao luxo de ser tolerantes, sendo os de comportamento linear mais tarde ou mais cedo encostados contra a parede por dentro e fora. Escolher o grupo social dos estrangeiros como bode expiatório, não vale.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:00


página facebook da pegadatwitter da pegadaemail da pegada



Comentários recentes

  • Anónimo

    RELIABLE PRIVATE ONLINE INVESTIGATIONS Have you ev...

  • Anónimo

    Olá a todos, Meu nome é janice albert, sou do Alab...

  • Anónimo

    Mettiamo a vostra disposizione un prestito da 1000...

  • jOse

    INSTEAD OF GETTING A LOAN, GET A BLANK ATM CARD AN...

  • jOse

    INSTEAD OF GETTING A LOAN, GET A BLANK ATM CARD AN...

  • Anónimo

    OPORTUNIDADE DE INVESTIMENTO DE EMPRÉSTIMO:Você pr...

  • Kelvin Ericksson

    Blank ATM cardDo you know that you can withdraw c...

  • 曾于娟

    Welcome. BE NOT TROUBLED anymore. you’re at the ri...

  • Abraham Khan Joy Shik

    Ei pessoal, estou tão feliz que recebi meu cartão ...

  • Pensador pensantw

    Luis Moreira, não sei de onde tu és, mas no Brasil...


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Pesquisar

Pesquisar no Blog