Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Um pequeno resumo

por n, em 19.10.12

A Lusa, esse rio informativo, fecha a comporta e as edições online dos OCS sofrem imediatamente. Hoje, salvo erro na Antena 1, alguém de um jornal afirmava que as actualizações online em vez de serem ao minuto (ou seja, tudo é publicável) estavam a ser efectuadas com intervalos de 6 minutos.

No Público deambula-se provavelmente entre uma aposta clara no digital (?), uma aposta num híbrido menos-papel e mais online, ou no fecho completo da publicação.
Na Controlinveste surgem alegadamente novos donos. Ou seja, novos donos, novas ideias, reestruturações, despedimentos, etc...

Na imprensa local as dificuldades são uma realidade.

Na rádio local acabam-se os projetos de proximidade e surgem os retransmissores musicais de Lisboa. Se isso permite sublinhar o excessivo número de frequências atribuidas no passado, a retracção económica/publicitária dos últimos dez anos sublinham o fim dos discos-pedidos e dos programas das câmaras municipais nas rádios locais. 

Assim vamos!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 11:11


O mundo animal nos media

por n, em 21.08.12

Um ano e uns dias depois do crocodilo na barragem em Castelo do Bode chegou a vez do tubarão de Vila Nova de Milfontes. Para o ano que seja o Monstro do Alqueva.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:58


Reacções à la Santana Lopes

por n, em 04.06.12

Diz-me um amigo, entre o gozo e a indignação, que a sic notícias, a tvi24 e a rtp informação, estão há cinco minutos a mostrar a porta de um avião que chegou à Polónia. Segundo ele estou a perder um grande momento da "história televisiva portuguesa". Não estou a ver, mas atendendo ao relato, sinto-me obrigado a concordar. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:36


Um relatório à medida

por Francisco Clamote, em 16.11.11
Apesar de surpreendido com a «aprovação do plano de sustentabilidade económica e financeira da RTP», o  Grupo de Trabalho para a definição do conceito de serviço público de comunicação social (GT) [reduzido após a saída de Felisbela Lopes, Francisco Sarsfield Cabral e João Vasco de Lara Everard do Amaral (que, pelos vistos, não são de tão boa boca quanto os restantes) a João Luís Correia Duque (o coordenador que, de comunicação social deve perceber mais ou menos o mesmo que eu) e a António Ribeiro Cristóvão; Eduardo Cintra Torres; José Manuel Fernandes; Manuel José Damásio; Manuel Villaverde Cabral e Manuela Franco) acabou por engolir aquela desconsideração, bastando-se com uma espécie de explicação do ministro Relvas e lá apresentou o seu relatório. Não sendo entendido na matéria, não vou apreciá-lo em profundidade. Deixo essa tarefa a especialistas como Arons de Carvalho, por exemplo, que já se pronunciou sobre o assunto. Tal facto não impede que deixe aqui um breve comentário  sobre algumas das propostas mais discutíveis.
A começar pela proposta de extinção, pura e simples, da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC), como se a, por eles, bem-amada auto-regulação fosse o meio adequado e suficiente para evitar o desastre. É que já se sabe pelo que ocorreu noutros sectores, o financeiro, por exemplo, a que lindos resultados conduziu a auto-regulação.
Passando depois ao conceito de serviço público de comunicação social defendido no relatório constata-se que o GT: propõe a extinção da RTP Informação e da RTP Memória e a fusão da RTP Internacional e da RTP África; defende quanto "aos conteúdos noticiosos do operador de serviço público de rádio e televisão"  que  "sejam concentrados em noticiários curtos, (...)  limitados ao essencial e [que] recuperem o carácter verdadeiramente informativo, libertos da crescente dimensão subjectiva e opinativa no jornalismo", com a singular nota de conceber o serviço internacional como "um instrumento da política externa, devendo depender a definição do contrato-programa e seu financiamento do Ministério dos Negócios Estrangeiros", conceito que já levou a que se rotulasse o relatório de "albanês" (Eduardo Pitta) e que, a tal propósito, já se tenha falado em "saudades da Albânia (Porfírio Silva).
Quanto a financiamento do serviço público, nada de publicidade, diz o relatório, pois não se pode cortar no bolo, destinado, por inteiro, segundo o GT, aos operadores privados do audiovisual. Esta malta, com destaque para sua alteza, o Duque, o famigerado Zé Manuel e Villaverde Cabral (os outros não conheço) não deixa os seus créditos de defensores do estado liberal, por mãos alheias. O Estado pode ser mínimo, mas, sem publicidade, lá terá que engordar, à custa do contribuintes, os operadores privados.
Neste sentido, bem se pode dizer que até parece que o relatório foi encomendado pelo sector sector privado da comunicação social, pois não há dúvida que é feito à medida dos seus interesses.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:39


página facebook da pegadatwitter da pegadaemail da pegada



Comentários recentes

  • Aboubacar Aboubacar Sacko

    Se você precisar dos serviços de um hacker ético c...

  • Anónimo

    OLÁ!!! Você é um homem ou uma mulher? Você precisa...

  • Anónimo

    Se você precisar de um serviço de hackeamento prof...

  • Anónimo

    Ile é conectado como o controle de acesso à Intern...

  • Anónimo

    Eles são conhecidos como os onipotentes gurus da I...

  • Anónimo

    Se você precisa de um serviço de hackers genuíno e...

  • Anónimo

    Olá pessoal, você precisa de serviços de hackers?E...

  • Төлөгөн Аимэшхан

    Você precisa de algum serviço de hackers? Você est...

  • Anónimo

    Muitos QUEREM SER HACKERS ON-LINE Cuidado com os a...

  • Anónimo

    Eles são um grupo profissional de hackers além da ...


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Pesquisar

Pesquisar no Blog  



subscrever feeds