Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




... da Magia de voltarmos a Ser

por Rogério Costa Pereira, em 21.12.13

Ouçam uma coisa.

Lembram-se da parte final do "Peter Pan" (versão Disney)?, quando o pai vai à janela e vê o barco desaparecer no horizonte? e se lembra que também tinha visto algo semelhante, em criança, algo que o tens-que-ser-homem o tinha feito esquecer?

Como aqui há dias recordava o Luis Grave Rodrigues, Christopher Hitchens disse algo como "Eu nem sequer sou tão ateísta como sou anti-teísta". E comigo passa-se algo semelhante, ao ponto de até conseguir deixar de parte o meu ateísmo em prol do meu anti-teísmo. Converter-me-ia a qualquer deus que abolisse as religiões. Não precisamos de deuses. Precisamos de Mulheres e de Homens. Verdadeiros Crentes. Crentes na Mulher e no Homem.

Ouçam uma coisa.

A tábua de salvação está em algo que nós podemos ver, basta abrir os olhos. Olhem as nuvens, rememorem os vossos tempos fraldados e desfraldados e verão que a Magia está nas Mulheres e nos Homens. Vejam o barco.

Magia. Não permitam que os tempos que correm vos impeçam fazer Magia e de ensinar os vossos meninos a acreditar nela e a fazê-la. Porque ela, a Magia das Mulheres e dos Homens, existe. Foi por Magia que se inventou a roda. Foi por Magia que demos passos adiante, como Civilização.

Se não acreditássemos que o coelho (salvo seja) sai da cartola, mesmo que duvidemos que está lá, não teríamos sequer saltado da árvore. Jamais o nosso polegar poderia tocar nos outros dedos. Uma inoponibilidade que nos impediria o Ser.

Foi tudo por Magia, Magia nossa. Porque ousámos.

Há algo em que temos de insistir, algo de que não podemos desistir. Somos. Existimos. Essa é a Magia. Ser. Ser e acreditar que podemos ser mais do que aquilo a que nos tentam reduzir. O deus ao qual pedimos? Peçam a vocês, e verão que resulta melhor. E resulta desde logo porque se formos crentes (em nós) o suficiente, e se lutarmos por nós, as coisas acontecem. Ou desacontecem. Como quem separa o trigo do joio.

Não somos números.

Somos!

Experimentem tirar um livro, um piano, uma arte de fazer sorrir dos ouvidos dos vossos meninos. Eles abrem muito a boca, e acreditam sem acreditar. E o sorriso sai. Porque eles acreditam. Não os enganamos, é como que uma espécie de raio de sol em dia de chuva. E acontece o arco-íris.

Façam essa Magia. E eles inventarão de novo a roda. As rodas que sejam necessárias. E como que por Magia, talvez não no nosso tempo (certamente que não), voltaremos a ser Mulheres e Homens.

Ora experimentem. Pensem bem no ridículo a que a nossa espécie se devotou. No ridículo a que as Mulheres e Homens se entregaram. Números. Hoje por hoje, somos números. Contas de subtrair. O meu filho não é um número; nenhuma criança pode ser reduzida a um número. Assim como nenhum velho pode começar a ser olhado como um criminoso porque ousou ter números a mais no tempo de Vida.

É assim tão simples? É assim tão simples, sim! Somos nós que complicamos e deixamos que nos compliquem. Se esta forma de pensar e de agir muda o mundo no imediato? Claro que não. Leva tempo. Quase tanto ou mais do que o tempo que levou a chegarmos a esta negação de vida.

Mas ou nos entregamos ao umbigo da nossa existência, e aí podemos atropelar os nossos iguais e dormir descansados. Há muito quem consiga e siga dessa forma. Ou acreditamos naqueles Olhos Grandes, cheios de esperança, que nos olham a cada dia.

Os nossos Filhos. Temos tudo a aprender com eles, para depois lhes ensinar a não esquecer. Não é um paradoxo, esta estranheza circular. Circular mas benigna.

Eu chamo-lhe Magia, chamo-lhe Francisco.  Ele mostra-me o tal barco que voa, e eu olho-o, ao barco, e tento que ele não se esqueça disso. Que há barcos que voam. É tão estupidamente fácil mudar o mundo. Basta tirar os óculos baços que nos põem à nascença.

Serei um sonhador, mas ainda me lembro quando os nossos filhos inventaram a roda. Chamaram-lhes sonhadores. Eles não são sonhadores, nós é que nos esquecemos de como é fácil sonhar. E de sonhar a fazer vai o voo de um pardal. Se começarmos hoje, o amanhã vai ser menos distante.

Eu chamo-lhe Magia, a minha avó chamar-lhe-ia um pífaro. É preciso é que comecemos, que ontem já era tarde. Experimentem e verão resultados nos dias seguintes, a cada passo do vosso filho. Quanto aos resultados para a Humanidade? Fizemos tanta asneira que talvez os netos dos nossos netos consigam viver resultados.

No entretanto, “basta” fazer Magia.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:01


Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



página facebook da pegadatwitter da pegadaemail da pegada



Comentários recentes

  • Anónimo

    VOCÊ ESTÁ PROCURANDO UM HACKER ONLINE E ENTRE OS H...

  • Anónimo

    Olá pessoal, você precisa de serviços de hackers?E...

  • Anónimo

    I was searching for loan to sort out my bills &...

  • Anónimo

    VOCÊ PRECISA DE UM SERVIÇO DE HACKING DE QUALIDADE...

  • Anónimo

    VOCÊ ESTÁ PROCURANDO UM HACKER ONLINE E ENTRE EM C...

  • Anónimo

    Se você precisar de um serviço de hackeamento prof...

  • Anónimo

    ENTRE EM CONTATO COM TODOS OS TIPOS DE TRABALHO HA...

  • Anónimo

    Recebi meu cartão multibanco programado e em branc...

  • Anónimo

    VOCÊ ESTÁ PROCURANDO UM HACKER ONLINE E ENTRE EM C...

  • Anónimo

    SE VOCÊ PRECISA DE UM SERVIÇO DE HACKING GENUÍNO E...


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Pesquisar

Pesquisar no Blog  



subscrever feeds