Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Não culpem os alemães

por Luis Moreira, em 22.05.12

No Independent : Fúria crescente da população alemã (The Independent - Dominique Lawson )

Com efeito, na cimeira de chefes de Governo do G8, em Washington, a chanceler alemã, Angela Merkel, foi colocada numa posição difícil: todos os outros dirigentes, a começar por Obama, disseram-lhe, à vez, que concordasse com o lançamento das chamadas euro-obrigações, na prática servindo-se dos contribuintes alemães para garantir as enormes dívidas da zona da moeda única.

Mesmo pondo de lado o facto de o seu Tribunal Constitucional ter dito que o Governo alemão não podia fazer tal coisa, isso seria totalmente inaceitável para a população do próprio país – como seria para qualquer povo soberano que se encontrasse numa posição semelhante. Na verdade, Merkel já foi muito além daquilo que o seu eleitorado desejaria, em termos de garantias.

A ideia de terem de pôr em risco as suas pensões, em vez de pressionarem os seus vizinhos mais imprevidentes para estes "agirem de forma responsável", está a provocar uma fúria crescente por parte da população alemã. De facto, não seria de espantar, se se verificasse um aumento das pressões nacionais, no sentido do abandono do euro e do regresso à moeda nacional.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:30


4 comentários

De jeremias a 23.05.2012 às 19:27

Meu Caro,

desculpe lá, mas este texto que apresenta é redutor e desonesto!

Em 2003 e 2004 quer a Alemanha, quer a França, violaram grosseiramente o pacto de estabilidade, designadamente os limites ao déficit.

No seu conjunto, e ao longo da história do euro, os bancos alemães e franceses emprestaram a Portugueses, Gregos e Italianos, sem pestanejar, cerca de 714 mil milhões de euros! Não consta que o tenham feito de pistola apontada.

Entretanto, a Alemanha aprovou diversa legislação tendo por efeito manter os salários alemães anormalmente baixos, ao ponto de mesmo a partir do colapso financeiro de 2008 a taxa de desemprego na Alemanha continuar a acentuar uma descida sem comparação na Europa.

Alimentada a procura externa com aqueles milhões e com custos laborais artificialmente baixos, a Alemanha disparou as exportações, de que resultam os substanciais desequilíbrios entre excedentes na Alemanha e contas negativas nos países importadores. Só a título de exemplo: enquanto a Grécia se enterrava em dívida, as importações de carros alemães representaram mais de 12 mil milhões de euros. Desde 2008 (com grande parte da Europa numa situação anémica) a expansão alemã acentua-se ainda mais em contra-corrente: tem uma moeda única mais barata do que o valor que corresponderia ao marco se tivesse moeda própria; isto porque a expansão económica forçaria necessariamente a valorização substancial de uma moeda própria, com a consequente desvantagem para a manutenção do mesmo ritmo exportador. Está, tal como a China tem gozado em relação ao valor artificial do yuan, a beneficiar de uma divisa anormalmente baixa para o valor da economia alemã; mas anormalmente alta para a sustentabilidade e competitividade dos restantes países europeus em recessão.

Para piorar ainda mais a coisa, está a parasitar toda a poupança da periferia, com os escassos depósitos a serem exportados para bancos alemães. Em suma, estamos perante isso mesmo: uma situação parasitária, que a não ser alterada, acabará por ter de ser reconhecida como deve sê-lo: a Alemanha, por OMISSÃO (entre os efeitos que provocou e as desvantagens que não quer assumir, pelas vantagens que tirou de tais efeitos e de que crê poder continuar a beneficiar indefinidamente), declarou guerra económica à Europa. Tarde perceberemos que se trata exactamente disso: estamos em economia de GUERRA!

De Luis Moreira a 23.05.2012 às 19:39

Eles fizeram o trabalho de casa. E os eurobondes aumentam-lhes a taxa de juro e são garantidos pelas suas pensões. Não estão para isso. É só colocarmo-nos na posição deles. Se calhar tambem não iamos na cantiga. (quer dizer, ir, iamos, porque não pensamos a prazo)

De jeremias a 23.05.2012 às 20:35

Que eles fizeram bem o trabalho de casa, não haja dúvidas: o da casa deles e o da casa dos outros. Quanto ao que refere do interesse dos alemães: pela mesma lógica, os alemães não tinham interesse em que existisse uma comunidade europeia do carvão e do aço...mas teve de ser.

De Luis Moreira a 23.05.2012 às 22:50

Tratam da vida. Agora estão a ser financiados a taxa zero.

Comentar post



página facebook da pegadatwitter da pegadaemail da pegada



Comentários recentes

  • Aboubacar Aboubacar Sacko

    Se você precisar dos serviços de um hacker ético c...

  • Anónimo

    OLÁ!!! Você é um homem ou uma mulher? Você precisa...

  • Anónimo

    Se você precisar de um serviço de hackeamento prof...

  • Anónimo

    Ile é conectado como o controle de acesso à Intern...

  • Anónimo

    Eles são conhecidos como os onipotentes gurus da I...

  • Anónimo

    Se você precisa de um serviço de hackers genuíno e...

  • Anónimo

    Olá pessoal, você precisa de serviços de hackers?E...

  • Төлөгөн Аимэшхан

    Você precisa de algum serviço de hackers? Você est...

  • Anónimo

    Muitos QUEREM SER HACKERS ON-LINE Cuidado com os a...

  • Anónimo

    Eles são um grupo profissional de hackers além da ...


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Pesquisar

Pesquisar no Blog