Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Os intocáveis

por Rogério Costa Pereira, em 30.12.09

O João Miguel Tavares não acha “que um colunista tenha de “provar” acusações, críticas ou innuendos”. E eu, aqui do meu cantinho, acho que o JMT tem toda a razão no que diz. Um colunista, um camionista, um feirante, todos têm direito a dizer o que pensam sem terem de provar o que quer que seja. Com efeito, uma das características da norma jurídica é precisamente a violabilidade. Um gajo — o tal camionista, por exemplo — pode, só porque lhe apetece, atropelar e matar quem se lhe atravesse. Depois, sofre ou não as consequências, conforme seja ou não apanhado. Até pode optar por sofrê-las voluntariamente, indo entregar-se à polícia e confessando o crime perante o juiz, em sede de julgamento. A lei pode ser vista como a ementa de um restaurante. Escolhemos os pratos que quisermos e que pudermos pagar. Pagamos de acordo com o que, voluntariamente — como homens livres —, optámos por comer. Muitos colunistas — não me parece que seja o caso do JMT —, podem ter exactamente esta visão da lei. É, aliás, perfeitamente legítimo. Eu, após pesar na balança os prós e os contras, opto por difamar um indivíduo. E faço-o, acreditando que até posso vir a ser punido, mas retirando um gozo — ou um provento, já agora — maior da prática do acto ilícito do que retiraria se não dissesse o que me vai na alma, ou na alma do alma grande que me encomendou o sermão.


Ou seja, em termos estritamente técnicos, é impossível desmentir o JMT. Mas, como não acho que tenha sido este o seu raciocínio — o qual, reitero, seria legítimo —, cabe também falar aqui do puro e duro da questão. Se bem percebi, o JMT não só acha que não tem de provar nada, como acha também que, como colunista que é, não pode ser punido por não provar (exceptio veritatis) uma qualquer afirmação que seja atentatória da honra do eventual visado. E depois, atira-nos com a falácia do ano, já com este a finar-se: “A ocorrer essa confusão, estaríamos condenados a apenas falar sobre o que quer que fosse após uma sentença ter transitado em julgado.”.


Não é verdade. Cheira-me mesmo que é possível fazer uma boa crónica sem estar à espera dum maçador e arrefecedor trânsito em julgado. Até já li algumas. Confesso que não tenho o hábito de ler o JMT, mas desconfio que até ele já terá escrito boas crónicas, sobre temas judicialmente ao rubro, sem pisar aquele risco que ele acha que os colunistas — essa espécie de deuses — podem pisar quando bem entenderem. Diz o João que se deve poder dizer que o “poder municipal é muito permeável à corrupção”. Eu digo que depende, pode sim, se essa frase não estiver inserida num contexto que leve o leitor a pensar — legítima e fundadamente e baseando-se na crónica que leu — que o colunista se está a referir a alguém em concreto.


Obviamente — e isto chega mesmo a doer de tão óbvio que é —, eu posso dizer aqui na jugular que determinado individuo, que é consabido andar a ser investigado por uma fraude que envolve dinheiros públicos, é um crápula que estava bem era atrás das grades. E depois, para me justificar — perante a minha consciência, ao menos —, reputo as minhas fontes, que são os jornais que leio e os mentideros em quem me movo, de credíveis. E do resto lavo as minhas mãos. O crápula-que-afinal-não-era-e-mesmo-que-seja-não-me-cabe-a-mim-maculá-lo-antes-duma-sentença-transitada-em-julgado, pardon my french, que se foda. A pena acessória com que eu lhe pespego, e com que ele vai carregar enquanto alguém tomar a minha afirmação por boa, não me interessa. São as cruzes dele, quem o mandou atravessar-se no meu caminho de blogger intrépido cheio de boa-fé? Afinal, como diz o João, “a investigação pareceu-me bem fundamentada, o jornal merece-me credibilidade, escrevi a partir daí". De boa-fé. É mais ou menos como ir a um aniversário sem levar presente e depois dizer, com ar de Seinfeld, “eu não sabia!”.


Parece-me pois evidente que o JMT não tem o direito de fazer o que apregoa poder fazer, “sem necessidade de ter de “provar” a veracidade daquela investigação”. Afirmar “Isso implicaria quer cada colunista tivesse uma equipa completa de fact checkers atrás de si ou, ainda melhor, um departamento da PJ ao seu serviço para averiguar se aquilo que foi escrito numa investigação de um jornal de referência é mesmo verdade” é tomar-nos por parvos. E à grande.


Não é preciso essa parafernália toda, João, basta um bocadinho de bom senso. E de chá. O que realmente me admira não é o JMT pensar como pensa, é ter a coragem (lata?) de o escrever e assinar por baixo. A tese do "estar de boa-fé", de poder dizer o que me der na telha desde que “a priori não tenha consciência de que esteja a cometer uma injustiça” ou é ingénua (dando de barato a boa-fé) ou é simplesmente tonta (sempre gostaria de saber a quem caberia o ónus da prova ou contra-prova dessa boa-fé, se ao João se ao visado, mas enfim). Num caso e noutro, dou razão ao JMT: a sua “cotação no mercado” está num nível — vê-se por esta amostra — de que ele não é merecedor.


Mas uma coisa o JMT merece, é ficar para a posteridade como o homem que defendeu que os colunistas estão acima da lei. Que são umas espécie de intocáveis, que podem irromper impunemente pelas alcovas dos seres menores que com eles partilham o terreno. Afinal, quando encostados à parede, podem simplesmente dizer, apontando para um qualquer jornalista: “foi ele, mamã!”.


Foi ele!, que eu sou um colunista.


 


A ler: Ego sum, do mestre Valupi.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:28


29 comentários

De fernando f a 30.12.2009 às 21:01


Grande coluna.

De PALAVROSSAVRVS REX a 30.12.2009 às 21:05

Pronto. O Rogério da Costa Pereira escreveu qualquer coisa. Vai receber em conformidade. Mas por que motivo se gastam tantos caracteres a dar uma no cravo e outra na ferradura? E que novidade traz o Valupi fora o facto de defenderem respectivamente a teta em que consiste terem de escrever alguma coisa?


 

De Rogério da Costa Pereira a 30.12.2009 às 21:07

Grande ironia.

De fernando f a 30.12.2009 às 21:21

Independentemente da ironia.

De Rogério da Costa Pereira a 30.12.2009 às 21:41

Ficas tão bem neste post, bóbi.

De aquasky a 30.12.2009 às 21:50

Grande lição. Parabéns.

De KTVCI a 30.12.2009 às 22:24

Mas será possível? Três posts três, dedicados a este sr. JMT. LOLLLL
Eu já não percebo nada disto. P. ex: chamar "filho da puta" àquele sr. Gonçalves, não atenta contra honra do sito (ou da progenitora), não revela falta de chá e por aí fora?
Ou essa cena do bom nome e reputação é só para alguns, só pra os tais que são enteados, porque os outros são filhos "daquilo"?
Desculpem lá, mas uma coisa é julgarem que são muito espertos, outra é julgarem que todos os outros (exceptuando os que concordam convosco) são parvos .
Ai ai, isto só a rir, mesmo.

P.S. (não tem nada a ver com o partido): atrevem-se a publicar este comentário não laudatório?

De Nuno Albuquerque a 30.12.2009 às 22:26

Está tudo certo. Só fica por explicar porque é que o processo do PM contra JMT foi arquivado.

De Rogério da Costa Pereira a 30.12.2009 às 22:32

Não conheço o processo. Quando ele tiver transitado em julgado (não sei se tal já aconteceu) e for público, farei os comentários devidos.

De Rogério da Costa Pereira a 30.12.2009 às 22:40

amothepapa
kiko

(este hg87ujçº e isto tb é o 1º comentário do meu filhote - foi um ditado de letras, confesso)

Comentar post


Pág. 1/3



página facebook da pegadatwitter da pegadaemail da pegada



Comentários recentes

  • wilsontradeszone

    if you are in financial difficulties or you find i...

  • Henry Mark

    I AM HENRY MARK FROM GERMANY HAPPY MARRIED, ...

  • valkamla1

    Eu ofereço empréstimos a pessoas sérias.Você está ...

  • Thompson

    Olá!Você precisa de um empréstimo? Eu sou um credo...

  • Carl Robinson

    Good day everyone, I have received a blank ATM car...

  • Ian Berridge

    We are genuine certified Financial Instrument prov...

  • DAVID

    Olá, você está com alguma dificuldade financeira? ...

  • DAVID

    Olá, você está com alguma dificuldade financeira? ...

  • Louis Bonny

    Hi!Get your fast and affordable seasonal loan,We a...

  • DAVID

    Olá, você está em alguma dificuldade financeira? Q...


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Pesquisar

Pesquisar no Blog