Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



A pegada não morreu; apenas deslocámos a maior parte das nossas pegadas para o facebook. Enorme pecado, bem sabemos; mas por estes instantes, em que o tempo não abunda, é mais fácil interagir e publicar ali. Esta nossa casa não desaparece; será sempre a referência principal e o lugar das pegadas mais profundas. No entretanto, e quando não nos virem por aqui, é porque estamos aqui:pegadabook. Cliquem no link (não é necessário ter facebook para ler, apenas para comentar) e/ou façam like acima. A todos os leitores e ao sapo, que nunca nos falhou, pedimos desculpa. É coisa de momentos; a pegada será sempre aqui. Aqui é a regra, este anúncio não revela mais do que uma excepção. Já agora, e também no facebook, mas numa onda diferente -- e em que todos os leitores podem ser autores --, visitem o ouvir & falar.

 

 



Uma tragedifarsa em XII actos: "agradecemos muito; de nada."

por Rogério Costa Pereira, em 09.02.12

Se prestarem atenção, ouvirão uma coluna vertebral a partir-se

Do lado da tragédia: Vítor Gaspar, ministro português das finanças

Do lado da farsa: Wolfgang Schäuble, ministro alemão das finanças

(imagens TVI

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:41


9 comentários

De Luis Moreira a 09.02.2012 às 22:46

Sinto-me lamuriento, pronto!

De Rogério Costa Pereira a 09.02.2012 às 23:03

Aprecio particularmente o ar do boche ao XII acto.

De Miguel Cardoso a 09.02.2012 às 23:08

Se reparares bem, ele já vai sem ela. Mas, como diz a Maria do Sol, a postura corporal é muito reveladora: curvado, de olhar baixo e meigo, a dar a patinha... Enfim, não deve dar trabalho nenhum em casa desde que se leve à rua 3 ou 4 vezes ao dia.

De Luis Moreira a 09.02.2012 às 23:13

E, agora, como vão eles negar a possibilidade de aliviar a pressão?

De António Leal Salvado a 09.02.2012 às 23:51

Certíssima a frase "do lado da tragédia...". Parecia-me que não a compreendia, mas vi melhor e lá está a linha do e texto bem clara - o caspar (ou é raspar?) escrito ao lado da verdadeira tragédia: "ministro português das finanças". Uma tripla tragédia, em que é difícil saber qual dos três atributos é mais trágico.
O Miguel Cardoso volta a ter razão: 1º acto = Kick me hard; 2º acto = muito obrigadinho.
Gostei do papel do homúnculo - entrou aparvalhado e saíu apaspalhado.

De António Leal Salvado a 09.02.2012 às 23:54

e já agora: qual coluna vertebral?
(foste buscar essa parte a outro filme, Rogério!)

De Ariel a 09.02.2012 às 23:59

mas que que cenaça mais deprimente...!

De Luis Moreira a 10.02.2012 às 00:13

Estou a perder muita coisa. Desculpem estive a preparar o trabalho de casa para amanhã de manhã...

De Rogério Costa Pereira a 10.02.2012 às 10:41

Pois, têm razão. Essa da coluna vertebral foi mal jogada. Tenho de estar mais atento, mas a verdade é que fiquei tão enojado com a cena, cuja substância, aliás, o fulano hoje veio desmentir, que perdi alguma capacidade de raciocínio. My bad.

Comentar post



página facebook da pegadatwitter da pegadaemail da pegada



Comentários recentes


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Pesquisar

Pesquisar no Blog