Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Cara(o)s associada(o)s
Em 1982, com um artigo no DN, lancei uma campanha de denúnica da corrupção e da passividade do Governo, quanto à mesma, nomeadamente face a denúnicas públicas de envolvimento de governantes.
Essa atitude, tomada por um conselheiro da Revolução, provocou então enormes ondas, com o Governo a estrebuchar e a proferir ameaças contra quem ousava colocá-lo em causa.
Como consequência directa dessa denúncia foi criado o cargo de Alto Comissário Contra a Corrupção, num processo que então denunciei, pois se via mesmo que não ia levar a nada.
Passados 30 anos, chegámos ao ponto a que chegámos, com os mais altos responsáveis do País envolvidos em casos de possível corrupção, sem que os mesmos sejam clara e inequivocamente esclarecidos.
Portugal é um dos países mais corruptos do mundo ocidental, nomeadamente da Europa, e, segundo estudos insuspeitos, sem corrupção teríamos um nível de vida semelhante ao da Dinamarca.
Como ciclicamente acontece, assistimos a uma iniciativa de um partido político - neste caso o PS - que, saído do Governo, onde nada fez contra a corrupção, antes aparentando ter-lhe dado total cobertura, muito em proveito próprio, vem agora, na oposição, propor medidas contra a corrupção.
Como podemos ver nas declarações de Tiago Caiado Guerreiro à SIC - permita-se-me felicitar publicamente este fiscalista, pelas claras, desassombradas e contundentes declarações aqui contidas - enfrentamos o risco de ir mudar alguma coisa, para que tudo fique na mesma!
Aqui fica o meu apelo público aos responsáveis do PS:
Não se limitem a alguma maquilhagem!
Ousem atacar o problema de forma eficaz!
Mas atenção, tal como a democracia se não alcança com não democratas, a corrupção também não se ataca com corruptos! Por isso, comecem por afastar de lugares responsáveis quem tem um passado feito de corrupção!
Só assim conseguirão recuperar o prestígio perdido!
Só assim conseguirão cumprir o vosso papel e contribuir para um País mais livre, igual e solidário!
A não o fazerem, talvez sejam surpreendidos pela revolta popular! Que já terá estado mais longe.
Vasco Lourenço

O fiscalista Tiago Caiado Guerreiro na SIC Notícias - Nós não temos um combate à corrupção.

Temos normas de branqueamento, que é uma coisa diferente...

Para que se perceba com quem estamos a lidar…

QUINTA-FEIRA, JANEIRO 05, 2012

No I online de 9 Dezembro de 2011: «O PS vai propor alterações à lei do financiamento dos partidos e pretende reduzir as verbas destinadas às campanhas eleitorais. Os socialistas aproveitam para avançar com esta medida no âmbito do pacote “transparência e prevenção da corrupção” que apresentam hoje no parlamento.»

Sobre esta medida do PS, o fiscalista Tiago Caiado Guerreiro, a quem nos anos mais próximos não deverá ser permitido voltar a pôr os pés numa televisão, explicou no programa «Opinião Pública» da SIC Notícias como, em Portugal, as leis são feitas exactamente para não ser possível apanhar as pessoas em situação de corrupção...

Palavras do fiscalista Tiago Caiado Guerreiro:

«Temos normas que tornam totalmente impossível apanhar um corrupto em Portugal. As normas são feitas exactamente para não ser possível apanhar as pessoas em situação de corrupção e não se conseguir provar em tribunal. Estes casos todos, que estão em tribunal, não vão dar em nada, porque a norma, mesmo que eles fossem filmados no acto de corrupção, seria difícil provar em tribunal com as normas que temos, quanto mais com advogados competentes (do lado dos corruptos).

Por outro lado, temos o Ministério Público que está organizado, e que sem culpa disso, para não conseguir investigar a corrupção, e também uma polícia judiciária que não tem meios para investigar a corrupção. Se juntarmos a isto, tribunais pouco treinados e normas que não funcionam, então isto é o paraíso dos corruptos. Aliás, todos nós conhecemos casos, ao longo do país todo, de fortunas inexplicáveis que continuam inexplicáveis e que apareceram de repente, após o exercício de cargos políticos ou em ligação com o Poder

… Agora, um conjunto enorme de medidas em vez de normas claras e transparentes sobre o que é que é a corrupção, e isto não é difícil de fazer, é copiar o que existe, por exemplo, nos cinco países menos corruptos do mundo, são normas que são muito transparentes, são normas que, ao contrário do que aqui está previsto, não se aplicam a toda a população portuguesa. Aplicam-se só a detentores de cargos políticos, por isso são muito mais focadas naqueles que têm o risco de praticar a corrupção e permite, por isso, um enfoque muito mais fácil da polícia judiciária, do ministério público, dos tribunais e dos outros órgãos de fiscalização.

… Todos nós sabemos que muita gente sai dos cargos públicos, políticos, e depois vai para a frente de grandes empresas e alguns deles criam grandes fortunas, quer dizer, tudo coisas que são inexplicáveis e inaceitáveis em sociedades civilizadas, excepto neste país, onde se pode bater sempre no contribuinte mas tratamos maravilhosamente bem os corruptos… Eu espero que isto não seja mais uma vez o que tem sido feito, que sempre que eles alteram as normas de corrupção, tornam-nas mais incompreensíveis e mais impossíveis de aplicar pelos tribunais e pela investigação.

… Nós não temos um combate à corrupção. Temos normas de branqueamento, que é uma coisa diferente. Temos normas que permitem aos corruptos saírem de um julgamento todos praticamente ilibados... Há casos que eu acho terríveis: as parcerias público-privadas são de certeza casos de polícia e o BPN, são dois casos paradigmáticos em Portugal

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:00


1 comentário

De Política com Ética a 30.01.2013 às 14:10

A “Associação 25 de Abril” promoveu, em 6 de Dezembro de 2012, um debate subordinado ao tema “A Corrupção na Origem da Crise”, gravado em vídeo e posteriormente colocado no YouTube , onde já se registaram 71.050 visualizações.

É importante que o maior n.º de pessoas tome conhecimento dos escândalos na política devido a comportamentos indecorosos e mesmo criminosos que, invariavelmente, não conduzem a quaisquer consequências punitivas, apesar da reprovação genérica dos cidadãos.

Para isso, agradecemos que divulgue este e-mail através dos seus contactos.
 

Gravações integrais
http://www.youtube.com/watch? v=HcTxAcE0n2o (http://www.youtube.com/watch?v=HcTxAcE0n2o)     (4.423 visualizações)
A Corrupção na Origem da Crise (1 de 5) - Vasco Lourenço

http://www.youtube.com/watch? v=aiTSJekHbxQ (http://www.youtube.com/watch?v=aiTSJekHbxQ)    (18.266 visualizações)
A Corrupção na Origem da Crise (2 de 5) Paulo Morais

http://www.youtube.com/watch? v=7zool__iaGg (http://www.youtube.com/watch?v=7zool__iaGg)       (6.166 visualizações)
A Corrupção na Origem da Crise (3 de 5) Paulo Morais

http://www.youtube.com/watch? v=yVBHuQRrBOk (http://www.youtube.com/watch?v=yVBHuQRrBOk)   (5.533 visualizações)
A Corrupção na Origem da Crise (4 de 5) Pedro Bingre)
 
http://www.youtube.com/watch? v=MBUs8sUVa7M (http://www.youtube.com/watch?v=MBUs8sUVa7M)   (4.563 visualizações)
A Corrupção na Origem da Crise (5 de 5) Pedro Bingre

Obrigado pela sua ajuda!

Comentar post



página facebook da pegadatwitter da pegadaemail da pegada



Comentários recentes


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Pesquisar

Pesquisar no Blog