Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Alberto João Jardim

Aos naturais custos da insularidade, os madeirenses lograram somar mais um, que eles próprios inventaram. Tem nomes próprios e apelido: Alberto João Jardim. Eleição após eleição, a Madeira permitiu-se acreditar que o "é-fartar-vilanagem" que lhes ia prometendo (e cumprindo) o seu sempiterno chefe não teria um fim. Que a factura de tamanha inconsciência seria sempre paga pelos cubanos...ou então...!

Ou então, nada; bem se vê agora no rugido miado de quem tão alto troava. Acabou-se o pagode; a Madeira dançará de ouvido o bailinho de anos de folia, que a banda já não toca a crédito. Não me dá prazer nenhum alinhavar estas palavras, embora haja que reconhecer que a Madeira se limita ao inevitável, alcançando-o, deitando-se na cama que tão afincadamente fez.

Conheço razoavelmente a realidade madeirense e bem sei que a frase "os cubanos que paguem a crise" era uma espécie de pirete apontado aos céus usado por quase todos, erguido a cada despautério, a cada túnel, a cada obra sem tino ou razão. Apenas porque sim e "aponta a conta no tecto, que alguém há-de pagar"; eles pagam!

Pois "eles" já não pagam mais. Agora, as contas da Madeira, a tal gota no oceano do défice português, serão (também) pagas por quem as avalizou a cada eleição, pelos madeirenses. E como é apenas uma gota, não devia custar nada. Mas vai custar, bem sei que vai; sei-o porque vivo numa ilha chamada interior, onde nunca houve pão para malucos, bem mais distante e esquecida do que a ilha da folia.

Tudo isto para dizer que as maiorias absolutas de Jardim não cairam do céu aos trambolhões. Tudo isto para dizer que não há almoços grátis. Agora somem as parcelas, peguem na lista telefónica da ilha e digam o nome completo do responsável pelo fim da autonomia da Madeira. Será mais rápido e fácil decorar o nome de todos os habitantes da Madeira do que recuperar o que hoje se perde. Os culpados são todos os madeirenses que se limitaram a olhar para onde ele apontava. Sem nunca questionar, sem nunca ter a decência de reconhecer a indecência. Sem nunca dizer não. E são também os continentais que nunca ousaram pisar o risco que havia que ser pisado: uma mera limitação de mandatos teria sido suficiente.

A Madeira perdeu a autonomia mas ganhou a independência tantas vez alarvemente usada à laia de ameaça. A independência de quem se faz homem e paga as suas contas no fim do mês.

Bem-vindos ao mundo real!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:44


Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



página facebook da pegadatwitter da pegadaemail da pegada



Comentários recentes

  • Ruth Breen

    It still feels incredible that my life has changed...

  • Anónimo

    Obtenha um cartão ATM em branco e dinheiro Bom di...

  • Anónimo

    Offre de prêt rapide et sérieuseLes informations s...

  • Anónimo

    Waow this is unbelievable, it is my first time to ...

  • Anónimo

    I am a veteran with the world trade organization h...

  • Anónimo

    Olá, Você precisa de um empréstimo de emergência p...

  • Anónimo

    Você busca fundos para pagar créditos e dívidas?{g...

  • Pito

    Oferta de crédito internacional,WhatsApp: +3519107...

  • Pito

    Oferta de crédito internacional,WhatsApp: +3519107...

  • Anónimo

    Precisa de um empréstimo? Empréstimo comercial? Em...


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Pesquisar

Pesquisar no Blog  



subscrever feeds