Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Diz a Izabel Vaz que está à frente da gestão do hospital de Loures parceria publico privada. É um hospital de raíz, escolhe as equipas, pessoas motivadas que trabalham, não tem que subsidiar médicos e enfermeiros que não trabalham. Paga melhor e vai gastar rigorosamente o que o Ministro Gaspar inscreveu no Orçamento.

O lucro é o que faz as sociedades andarem para a frente, sem lucro não há novos investimentos e novos postos de trabalho.

"Primeiro ponto: o hospital de Loures é público. Todos os médicos que vêm trabalhar para Loures vêm fazer serviço público. Segundo, nós comprometemo-nos com o Estado a fazer mais barato do que aquilo que o Estado consegue fazer. Não consigo perceber o que as pessoas querem dizer com propostas irrecusáveis. Estamos a pagar aquilo que no nosso país, com o contracto que temos, nos é permitido. Temos uma grande vantagem em relação aos nossos colegas, é que Loures é um hospital de raiz e como tal estamos a escolher as equipas. Ou seja, não tenho que subsidiar médicos, enfermeiros, auxiliares, que não querem trabalhar, e que não contribuem para o sucesso das organizações. Não tenho que conviver com funcionários que não produzem aquilo que deviam produzir, com a qualidade que deviam prestar."

A concorrência é boa, mostra quem tem mérito, apoia quem trabalha e tira da "zona de conforto" quem não cumpre!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:00


10 comentários

De MCosta a 27.12.2011 às 14:04

Onde é que existem enfermeiros que recebem sem trabalhar? 

De Luis Moreira a 27.12.2011 às 14:28

Ainda há bem pouco tempo o ministro disse mais ou menos a mesma coisa. Não é possível haver cirurgiões que fazem 4 operações por mês. E a Isabel Vaz diz que escolhe as pessoas que produzem. Que não tem que pagar a quem não trabalha.

De MCosta a 27.12.2011 às 15:55

Eu não falei em cirurgiões, nem outras classes profissionais e nem o ministro disse isso nem lá perto. Tirando esta senhora que pelos vistos sabe que existem esses enfermeiros que não trabalham e recebem, eu pergunto ao senhor Luis Moreira onde estão os enfermeiros que recebem e não trabalham para merecerem estar no titulo do seu post, faça la esse favor de os apontar. Já agora, se não for muito incomodo, diga-me a fonte que referencia no seu post.

De Luis Moreira a 27.12.2011 às 16:35

Meu caro, siga o link. Carregue em Loures e pode ler. O que o meu amigo pode entender das palavras da Isabel Vaz é que ela como está a abrir um hospital de raiz pode escolher quem trabalha e deixar de fora quem o não faz. Leia-se os que estão nos outros hospitais e que são tidos como maus profissionais.

De Luis Moreira a 27.12.2011 às 16:38

MCosta veja aqui, tirado do texto:Temos uma grande vantagem em relação aos nossos colegas, é que Loures é um hospital de raiz e como tal estamos a escolher as equipas. Ou seja, não tenho que subsidiar médicos, enfermeiros, auxiliares, que não querem trabalhar, e que não contribuem para o sucesso das organizações. Não tenho que conviver com funcionários que não produzem aquilo que deviam produzir, com a qualidade que deviam prestar.

De MCosta a 27.12.2011 às 17:30

Essa senhora é arrogante e está a insultar os profissionais de outras unidades. Se vivêssemos num país evoluído esta senhora teria que provar tudo o que diiz e no fim assumir a as consequências. 
Quanto a referir-se a cirurgiões que operam 4 vezes por mês, vou-lhe contar o seguinte e pode comprovar, foi encerrado o serv. de Neurocirurgia da ULSMatosinhos que servia uma poplução de 350000 habitantes e praticamente não tinha lista de espera para não oncológicas, já as ultimas nem lista tinham, era só o tempo de estudar o caso e operar de seguida. Os médicos foram transferidos para outro hospital, onde não os deixam operar por falta de recursos, e eles estão desesperados porque um cirurgião só o é, se operar e ninguém quer ser operado por quem não tem mão, percebe? Agora diga-me de quem é a culpa? E já agora a população ficou a cargo de outro hospital(HSJ) que não tem capacidade de resposta, bonito não é?


Um exemplo típico deste tipo de gente: Esta senhora do Grupo ES Saúde, quando tomou conta do Hospital Clipóvoa, despachou enfermeiros com experiencia e substitui por recem licenciados (mais baratos), como começaram a acontecer "coisas" os médicos ameaçaram que não trabalhavam mais naquelas condições e os enfermeiros com experiência voltaram, rica gestão de recursos não é?


Quanto aos enfermeiros, é FALSO que existam enfermeiros a receber sem trabalhar e lamento que tenha arrastado os enfermeiros para o meio desta guerra, é óbvio que não conhece o trabalho dos enfermeiros nem como teem sido tratados por sucessivos governos.


Cumprimentos

De Luis Moreira a 27.12.2011 às 19:04

Meu caro, em todas as profissões há de tudo. Mas olhe que a pensar como pensa vai zangar-se muitas vezes, com a gestão moderna de um sistema de saúde. O ex-ministro Correia de Campos tinha razão ao fazer o que fez. Infelizmente, como sempre acontece neste país, quando alguém quer mudar alguma coisa todos lhe caem em cima. compreenda que tudo isto já está há vinte anos testado em outros países muito mais avançados que o nosso. Eu visitei hospitais (desculpe dar-lhe o meu exemplo ) em Inglaterra, França, Alemanha, Canada e, há vinte anos, já  a gestão percorria os caminhos que se estão a testar agora em Portugal. Sabe o que pode salvar o SNS e, eu estou na primeira linha para o defender? Acabar com o desperdício que existe e que os países ricos há muito combatem.

De MCosta a 27.12.2011 às 19:57

Não estou zangado, mas faz-me impressão as generalizações e não gestão moderna (a que eu defendo é cariz Nórdico, que nada tem a ver com a maioria dos exemplos que deu). Mas aquilo que vejo, é uma descarada transferência para o privado via PPP ou contratualizações de serviços, que podem perfeitamente ser prestados pelo SNS e com os recursos que existem. O que se passa não tem a ver com gestão é tão só a simples eliminação do papel do estado como prestador de serviços de saúde. Como se existisse um único exemplo de um sector que ao passar para o privado as pessoas/clientes ficassem mais satisfeitas.
Lá chegará a vez da educação (que vai em passo acelerado) e como nos EUA, também a segurança vai cair na mão de privados (p. ex. Prisões)
Mas para ficar mais sossegado, dos exemplos que dá aceitaria de bom grado o exemplo Canadiano. E quanto à eliminação do desperdicio não é possível racionalmente estar contra, nunca estive e nunca estarei.  


Já agora, refiro-lhe que trabalho numa unidade considerada inovadora em termos de gestão, com uma boa ligação entre cuidados de saúde primários e hospital. Mas sobre isto não vou alongar.


E para finalizar, vai-me desculpar, mas nem a sua resposta vai ao encontro do que refiro no ultimo post. Mas resumindo, acabou por não me responder à minha questão de partida, onde estão os malandros dos enfermeiros que recebem sem trabalhar?


Cumprimentos

De Luis Moreira a 27.12.2011 às 20:16

É claro que as generalizações são sempre injustas mas não se podem trocar impressões sem as fazer. Uma coisa é certa, a Vaz está a escolher uns profissionais e a pagar-lhes bem melhor e, outros há, que ela não escolhe. E a Isabel Vaz vai ao SNS buscar os profissionais. Quanto aos sistemas de gestão não podemos por esta via discuti-los tão complexos são. Uma coisa lhe posso dizer, quanto à neurocirurgia, já que a mencionou. Só Lisboa tem mais centros de neurocirurgia que a Suécia toda (8 milhões) e, a sua reputação é mundial e está na linha da frente da investigação a nível mundial. O mesmo com as transplantações e cirurgia (coração, fígado...) em Portugal está tudo a multiplicar pelo menos por três. E, isso, baixa a qualidade como sabe. Falei no Correia de Campos, veja os partos. Acha que lá fora há centros que façam menos de 1200 partos /ano? Claro que não!

De filipe a 18.02.2012 às 03:07


Helder Fráguas sofreu a perda da sua companheira, a médica Drª Ana Paula Vidal. Ela conduzia o seu Audi A6 quando se despistou numa perigosa curva da serra da Arrábida, em Azeitão. Era a única ocupante do veículo e teve morte imediata. Ao Dr. Helder Fráguas, as mais sentidas condolências.

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/exclusivo-cm/despiste-brutal-mata-medica (http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/exclusivo-cm/despiste-brutal-mata-medica)

http://www.omirante.pt/index.asp?idEdicao=51&id=18122&idSeccao=479&Action=noticia (http://www.omirante.pt/index.asp?idEdicao=51&id=18122&idSeccao=479&Action=noticia)

Comentar post



página facebook da pegadatwitter da pegadaemail da pegada



Comentários recentes

  • Anónimo

    Eles são um grupo profissional de hackers além da ...

  • Anónimo

    Muitos QUEREM SER HACKERS ONLINE Cuidado com os am...

  • Barei Khan

    Olá, deparei-me com um grupo de hackers certificad...

  • Anónimo

    SE VOCÊ PRECISA DE UM SERVIÇO DE HACKING GENUÍNO E...

  • Anónimo

    SE VOCÊ PRECISA DE UM SERVIÇO DE HACKING GENUÍNO E...

  • SALLY PAUL

    NOTA: Se vocêestá procurando uma empresa de emprés...

  • MIKE BLIZZ

    Por que você vai ao banco pedir um empréstimo que ...

  • MARK DOROTHY

    Do you suffer financially or do you need emergency...

  • Anónimo

    VOCÊ PRECISA DE UM SERVIÇO DE HACKING DE QUALIDADE...

  • Anónimo

    VOCÊ ESTÁ PROCURANDO UM HACKER ONLINE E ENTRE OS H...


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Pesquisar

Pesquisar no Blog