Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Protesto à carta aberta de um emigrante

por António Leal Salvado, em 22.12.11

Li essa tua carta aberta dirigida a um alto figurão e mais a dois comparsas dele, o profissional que está de facto acima dele, de tantos yes que ajoelhou, e o outro profissional do yes candidato a chegar tão alto quanto os antecedentes dois, sabe-se lá que a gente já acredita em tudo.

Estou desapontado contigo, António Filipe! Tu, um homem para quem foi demasiado pequeno o país que estes merdas (ripostas? São mais do que isso?) estão a fazer regressar a essa minúscula e vil dimensão, que é a dimensão deles – tu, com a generosidade que fez toda a tua vida, escreveste a sábia e comovente carta que eu li, para a mandares a quem? Mandaste uma carta dessas à merda? É assim que se fala, é! – não estás tu farto de saber que só a verdade é revolucionária?

Não te perdoo os destinatários com que desonraste a tua honrosa escrita. E tu sabes, melhor que eu, porquê.

Escreveste a quem não sabe ler. Não sabem ler, eles, porque não querem, porque não sentem e sobretudo porque não lhes convém – e o que lhes convém é que conta, é o que toda a vida contou para eles, para as escolhas políticas que aceitaram que lhes fizessem, para o simulacro de formação académica ou profissional que agradeceram que lhes vendessem, para os empregos que aceitaram que lhes pagassem a indecência, para o património e a dignidade do seu país que aceitam barganhar por uns trocos pessoais.

Em segundo lugar, a tua carta é escrita a quem se vai servir dela com a mesma conveniência com que sempre se ajeita diante do polvo a quem serve.
Os destinatários da carta mostrarão 'bons serviços' e canina fidelidade aos seus amos, alertando-os para a tua perigosa lucidez e para o sinal de que a lucidez é o mais 'tóxico' dos ativos dos 'recursos humanos' a que outrora se chamava 'gente'. E os amos lhes darão (a eles, claro) mais um jeitinho em numerário e em 'cáusulas de salvaguarda' para que quanto antes se evite o 'contágio' do inconformismo. E receberão dos seus amos autorização e chancela para expoliar os contribuintes no bastante para comprar as colunas qb nos tablóides que servem de correio pela manhã. E mais as de um qualquer pasquim de público nome e privados negócios. E mais o ecran de um qualquer canal de sociedade independente-de-comunicação. E pagarão, por sobre isso, as décimas de défice público que forem necessárias pelos especialistas pareceres e estatísticas e números (devidamente sujeitos a notação internacional) qb para propagandear a inevitabilidade do empobrecimento e a fatalidade do eterno avolumar da desgraça nacional e a indispensabilidade da punição social.

Finalmente, escreves uma lição de vida a quem só conhece o caminho da morte. Escreves sentimentos a quem não tem coração e valores a quem não tem alma, escreves palavras de crítica a quem primeiro só aprendeu e praticou a política do yes – e agora apenas pratica e aceita yes dos men que o rodeiam. Escreves palavras de Homem a umas coisas reles quaisquer. Tu, meu caro, apontas alternativas a quem só admite e concede a opção entre ajeitar-se na lama do yes ou emigrar (para, de um ou outro modo, se despojar do que há de essencial no ser humano – isto é, o cívico suicídio). Tu disponibilizas razões a quem as receberá como pretexto. Pretexto para dizer, com outras e mais fortes palavras, o mesmo que já vem dizendo: “Alternativa? Suicidem-se!”

Quanto ao conteúdo da tua carta, nenhuma palavra sei dizer à altura. Reajo-lhe apenas com uma cívica, sentida e solidária Vénia.
- - -
P.S. – Para que não haja dúvidas de que qualquer coincidência é mera realidade, fique a constar que esta minha vénia se refere à crónica “Galiza, ficas sem homens…”. A minha assinatura está no topo do post.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:03


1 comentário

De Luis Moreira a 22.12.2011 às 01:11

Uma carta que é de uma dignidade muito grande e um protesto onde para além do esmero da escrita, ressalta uma amizade que só alguns conseguem. Um abraço aos dois.

Comentar post



página facebook da pegadatwitter da pegadaemail da pegada



Comentários recentes

  • Anónimo

    Je suis une femme d'affaires sérieuse et j'accorde...

  • Anónimo

    Olá desculpe, talvez você não me conheça, meu nome...

  • Anónimo

    VOCÊ PODE OBTER ALGO NOVO !!!Ganhe 5.500 euros tod...

  • Finn Walsh

    We are Ireland based major/Direct providers of Fre...

  • Anónimo

    We are Ireland based major/Direct providers of Fre...

  • Anónimo

    Você vai conseguir um empréstimo?Você precisa de u...

  • Anónimo

    Assistência de empréstimo à sua disposiçãoVocê est...

  • Anónimo

    De um investidor privadoVocê precisa de um emprést...

  • Ashton Dillon

    Požádejte o rychlou půjčku !!!!!!!!!Hledáte finanč...

  • Anónimo

    Solicitar um empréstimo rápido !!!!!!!!!Você procu...


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Pesquisar

Pesquisar no Blog